Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Hospital Universitário passa, agora, de 48 para 80 leitos UTI e de 96 para 121 leitos de enfermarias. E haverá mais entrega até o fim deste mês. Novos espaços serão retaguarda para 97 municípios da Região Norte. Investimento do governo no hospital é de aproximadamente R$ 28 milhões.

O Governo do Estado entregou ontem (20) mais 57 leitos para o Hospital Universitário de Londrina. São 32 leitos de UTI (20 adulto e 12 pediátrico) e 25 leitos de enfermaria exclusivos para pacientes Covid-19. O Hospital, que pertence ao Estado e é vinculado à Universidade Estadual de Londrina, passa agora de 48 para 80 leitos UTI e de 96 para 121 leitos de enfermarias.

“Com o constante aumento de casos de Covid, temos até agora pela manhã uma ocupação de 83% entre as UTIs do HU. Logo após a liberação desses novos leitos, essa taxa ficará em 51%” explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A nova estrutura funcionará como Hospital de Retaguarda Covid-19 para 97 municípios da região Norte. Ele foi ativado com 28 leitos na primeira quinzena de junho. Agora foram mais 57 leitos e até o dia 30 de julho serão liberados mais 35 (10 UTI adulto e 25 enfermaria), totalizando 120 leitos de retaguarda para uso exclusivo de pacientes suspeitos ou confirmados Covid-19.

Maior do Estado

A nova estrutura foi instalada no prédio em que posteriormente ficará a nova maternidade do HU. São cerca de 5 mil metros quadrados distribuídos em três pavimentos em que funcionarão 120 leitos até a última ativação de leitos, em 30 de julho.

Quando todos os leitos estiverem liberados, a estrutura de UTIs do Hospital Universitário de Londrina será a maior de todo o Estado. “Importa dizer que não basta ampliar leitos, é preciso de pessoas qualificadas e bem treinadas para atuar nesse tipo de serviço. E já estamos com profissionais em falta”, alerta o secretário estadual.

O serviço e a qualificação necessária já impactaram na liberação de mais leitos nesta etapa em Londrina. A previsão era a de que seriam liberados mais leitos, mas a primeira seleção de profissionais não chegou ao número suficiente para atender a demanda.

O diretor de Gestão em Saúde da Secretaria, Vinícius Filipak, reforça que a população precisa contribuir com a melhoria da situação da pandemia. “O Estado está fazendo a sua parte, mas as pessoas precisam entender que os leitos não garantem a vida de ninguém, por isso o isolamento e o cuidado para evitar a transmissão do vírus é de extrema importância”, enfatizou.

Mais leitos

Além do HU em Londrina, ainda nesta semana serão ativados mais 34 leitos de UTI no Estado. Na quinta-feira (23) serão liberados mais 14 leitos no Hospital de Reabilitação, unidade que integra o Complexo Hospitalar do Trabalhador em Curitiba, e outros 20 leitos no Hospital Regional de Guarapuava, totalizando 1.025 leitos do tipo Unidade de Terapia Intensiva exclusivos para pacientes Covid-19, criados pelo governo desde o início da pandemia.

Recursos

O investimento do Governo do Estado no Hospital de Retaguarda Covid-19 foi de aproximadamente R$ 28 milhões, além de investimentos da prefeitura de Londrina, da Câmara Municipal e recursos próprios do hospital.

A superintendente do Hospital, Vivian Feijó, disse que o reforço dos profissionais reflete no crescimento da unidade hospitalar. “Nós sabemos que atrás de cada máquina, cada leito, há muitas pessoas que fazem o serviço acontecer e ser de excelência. Aqui no HU temos orgulho dos nossos profissionais”, afirmou.

Presenças

Acompanharam a solenidade o reitor da Universidade Estadual de Londrina, Sérgio Carvalho; os deputados estaduais Cobra Repórter, Tiago Amaral e Tercílio Turini; o presidente da Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (Amepar) e prefeito de Sabáudia, Hugo Manueira; além de profissionais do hospital.

Deputado Cobra Repórter comemora liberação de mais 57 leitos para Covid pelo HU de Londrina

O deputado estadual Cobra Repórter (PSD) participou ontem (20), no  Hospital Universitário da UEL (HU-UEL) , da entrega da estrutura onde vai funcionar o Hospital de Retaguarda Covid-19, no prédio onde será instalada a nova maternidade do HU-UEL.  São mais 57 leitos que entram em funcionamento destinados exclusivamente aos pacientes confirmados e suspeitos de Covid-19

Cobra Repórter esteve ao lado do secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, da superintendente do HU, Vivian Feijó, do reitor da UEL, Sérgio Carlos de Carvalho e de seus colegas deputados estaduais Tercilio Turini (PPS) e Tiago Amaral (PSB).

De acordo com o deputado Cobra Repórter, dos 57 leitos, 32 são de UTI (adulto e pediátrica) e 25 de enfermaria, para a realização dos isolamentos necessários. A nova área tem cerca de 5 mil metros quadrados distribuídos em três pavimentos.

“Esta é uma estrutura importante para garantir ao atendimento que os pacientes que vierem a contrair o coronavírus vão ter à disposição. O governo do Estado não tem medido esforços para garantir os investimentos que a saúde necessita neste momento. Somente nesta estrutura forma cerca de R$ 27,8 milhões”, destacou Cobra Repórter.

Segundo a direção do HU, os recursos financeiros para montar a estrutura, inclusive  com a realização do Processo Seletivo Simplificado (PSS), custeio e aquisição de equipamentos são provenientes do governo do Estado (R$ 24 milhões), SESA (R$ 3,8 milhões), Câmara Municipal de Londrina (R$3,2 milhões), contratualização SUS entre HU/UEL x Prefeitura municipal de Londrina (R$5,204 milhões), além de recursos próprios do hospital no montante de R$ 3 milhões.

E as notícias boas não param por aí, a nova estrutura comporta até 120 leitos, que serão ativados conforme a necessidade. “Nosso desejo é que estes leitos não sejam necessários, para isso a população deve fazer a sua parte, mantendo o isolamento social o máximo o possível, saindo de casa somente se necessário, evitando aglomerações, usando máscaras e mantendo sempre as mãos limpas. Vamos ter paciência e nos cuidar mais um pouco para que esta pandemia passe logo e para que a gente possa retomar em breve todas as nossas atividades”, finalizou.

Meire Bicudo e  Veruska Barison/Asimp com AEN

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.