Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Hospital Universitário passa, agora, de 48 para 80 leitos UTI e de 96 para 121 leitos de enfermarias. E haverá mais entrega até o fim deste mês. Novos espaços serão retaguarda para 97 municípios da Região Norte. Investimento do governo no hospital é de aproximadamente R$ 28 milhões.

O Governo do Estado entregou ontem (20) mais 57 leitos para o Hospital Universitário de Londrina. São 32 leitos de UTI (20 adulto e 12 pediátrico) e 25 leitos de enfermaria exclusivos para pacientes Covid-19. O Hospital, que pertence ao Estado e é vinculado à Universidade Estadual de Londrina, passa agora de 48 para 80 leitos UTI e de 96 para 121 leitos de enfermarias.

“Com o constante aumento de casos de Covid, temos até agora pela manhã uma ocupação de 83% entre as UTIs do HU. Logo após a liberação desses novos leitos, essa taxa ficará em 51%” explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A nova estrutura funcionará como Hospital de Retaguarda Covid-19 para 97 municípios da região Norte. Ele foi ativado com 28 leitos na primeira quinzena de junho. Agora foram mais 57 leitos e até o dia 30 de julho serão liberados mais 35 (10 UTI adulto e 25 enfermaria), totalizando 120 leitos de retaguarda para uso exclusivo de pacientes suspeitos ou confirmados Covid-19.

Maior do Estado

A nova estrutura foi instalada no prédio em que posteriormente ficará a nova maternidade do HU. São cerca de 5 mil metros quadrados distribuídos em três pavimentos em que funcionarão 120 leitos até a última ativação de leitos, em 30 de julho.

Quando todos os leitos estiverem liberados, a estrutura de UTIs do Hospital Universitário de Londrina será a maior de todo o Estado. “Importa dizer que não basta ampliar leitos, é preciso de pessoas qualificadas e bem treinadas para atuar nesse tipo de serviço. E já estamos com profissionais em falta”, alerta o secretário estadual.

O serviço e a qualificação necessária já impactaram na liberação de mais leitos nesta etapa em Londrina. A previsão era a de que seriam liberados mais leitos, mas a primeira seleção de profissionais não chegou ao número suficiente para atender a demanda.

O diretor de Gestão em Saúde da Secretaria, Vinícius Filipak, reforça que a população precisa contribuir com a melhoria da situação da pandemia. “O Estado está fazendo a sua parte, mas as pessoas precisam entender que os leitos não garantem a vida de ninguém, por isso o isolamento e o cuidado para evitar a transmissão do vírus é de extrema importância”, enfatizou.

Mais leitos

Além do HU em Londrina, ainda nesta semana serão ativados mais 34 leitos de UTI no Estado. Na quinta-feira (23) serão liberados mais 14 leitos no Hospital de Reabilitação, unidade que integra o Complexo Hospitalar do Trabalhador em Curitiba, e outros 20 leitos no Hospital Regional de Guarapuava, totalizando 1.025 leitos do tipo Unidade de Terapia Intensiva exclusivos para pacientes Covid-19, criados pelo governo desde o início da pandemia.

Recursos

O investimento do Governo do Estado no Hospital de Retaguarda Covid-19 foi de aproximadamente R$ 28 milhões, além de investimentos da prefeitura de Londrina, da Câmara Municipal e recursos próprios do hospital.

A superintendente do Hospital, Vivian Feijó, disse que o reforço dos profissionais reflete no crescimento da unidade hospitalar. “Nós sabemos que atrás de cada máquina, cada leito, há muitas pessoas que fazem o serviço acontecer e ser de excelência. Aqui no HU temos orgulho dos nossos profissionais”, afirmou.

Presenças

Acompanharam a solenidade o reitor da Universidade Estadual de Londrina, Sérgio Carvalho; os deputados estaduais Cobra Repórter, Tiago Amaral e Tercílio Turini; o presidente da Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (Amepar) e prefeito de Sabáudia, Hugo Manueira; além de profissionais do hospital.

Deputado Cobra Repórter comemora liberação de mais 57 leitos para Covid pelo HU de Londrina

O deputado estadual Cobra Repórter (PSD) participou ontem (20), no  Hospital Universitário da UEL (HU-UEL) , da entrega da estrutura onde vai funcionar o Hospital de Retaguarda Covid-19, no prédio onde será instalada a nova maternidade do HU-UEL.  São mais 57 leitos que entram em funcionamento destinados exclusivamente aos pacientes confirmados e suspeitos de Covid-19

Cobra Repórter esteve ao lado do secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, da superintendente do HU, Vivian Feijó, do reitor da UEL, Sérgio Carlos de Carvalho e de seus colegas deputados estaduais Tercilio Turini (PPS) e Tiago Amaral (PSB).

De acordo com o deputado Cobra Repórter, dos 57 leitos, 32 são de UTI (adulto e pediátrica) e 25 de enfermaria, para a realização dos isolamentos necessários. A nova área tem cerca de 5 mil metros quadrados distribuídos em três pavimentos.

“Esta é uma estrutura importante para garantir ao atendimento que os pacientes que vierem a contrair o coronavírus vão ter à disposição. O governo do Estado não tem medido esforços para garantir os investimentos que a saúde necessita neste momento. Somente nesta estrutura forma cerca de R$ 27,8 milhões”, destacou Cobra Repórter.

Segundo a direção do HU, os recursos financeiros para montar a estrutura, inclusive  com a realização do Processo Seletivo Simplificado (PSS), custeio e aquisição de equipamentos são provenientes do governo do Estado (R$ 24 milhões), SESA (R$ 3,8 milhões), Câmara Municipal de Londrina (R$3,2 milhões), contratualização SUS entre HU/UEL x Prefeitura municipal de Londrina (R$5,204 milhões), além de recursos próprios do hospital no montante de R$ 3 milhões.

E as notícias boas não param por aí, a nova estrutura comporta até 120 leitos, que serão ativados conforme a necessidade. “Nosso desejo é que estes leitos não sejam necessários, para isso a população deve fazer a sua parte, mantendo o isolamento social o máximo o possível, saindo de casa somente se necessário, evitando aglomerações, usando máscaras e mantendo sempre as mãos limpas. Vamos ter paciência e nos cuidar mais um pouco para que esta pandemia passe logo e para que a gente possa retomar em breve todas as nossas atividades”, finalizou.

Meire Bicudo e  Veruska Barison/Asimp com AEN

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios