Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Silenciosa, doença viral caracteriza por uma inflamação no fígado tem tratamento. Diagnóstico e prevenção por meio do teste rápido e vacina para as hepatites A e B

Em 2010, foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais a ser comemorado no próximo domingo, 28 de Julho. No Brasil, foi sancionada pelo governo federal a Lei nº 13.802, em 10 de janeiro de 2019, que institui o Julho Amarelo, a ser realizado a cada ano, em todo o território nacional. O “Julho Amarelo” visa conscientizar sobre a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento das Hepatites Virais B e C.

As hepatites virais são doenças provocadas por diferentes vírus que apresentam características distintas. Possuem distribuição universal e existem diferenças entre os vários lugares na ocorrência destas de acordo com o agente etiológico e o tipo de exposição das pessoas aos vírus. 

Doença silenciosa

A hepatite é a inflamação do fígado. Nem sempre as hepatites apresentam sintomas, porém os mais comuns são olhos e pele amarelados, cansaço, febre, mal-estar, tontura, vômitos, dor abdominal, urina escura e fezes claras. Os tipos mais comuns são causados pelos vírus A, B e C.

O Ministério da Saúde estima que existam 1,7 milhões de brasileiros portadores do vírus da hepatite C e 756 mil portadores do vírus da hepatite B, porém muitas pessoas não sabem que têm estes vírus. No Brasil, mais de 70% dos óbitos por hepatites virais são decorrentes da Hepatite C, seguido Hepatite B (21,8%) e Hepatite A (1,7%).

Em Ibiporã, segundo o Setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, no ano passado foram diagnosticados 24 casos de hepatites virais, sendo 11 casos de hepatite B e 13 de Hepatite C, na faixa etária entre 25 a 75 anos. (fonte: Sistema de Informação de Agravos de Notificação - Sinan).

Transmissão

O modo de transmissão depende do tipo do vírus. Sobre os três de maior importância: a hepatite A é transmitida por via fecal-oral, de uma pessoa infectada para outra ou através de água ou alimentos contaminados. O vírus B é transmitido principalmente por via sexual, mas pode também ser transmitido pelas vias parenteral e perinatal (gestação/parto). A hepatite C tem o contato com sangue contaminado como principal via de transmissão. 

Tratamento

O tratamento varia de acordo com o tipo do vírus - a hepatite A, que causa doença aguda, não tem tratamento específico. As hepatites B e C, que causam também doença crônica, têm tratamentos eficazes e disponíveis gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde. A hepatite C atravessa uma revolução no seu tratamento atualmente, com medicamentos que oferecem chances de cura em mais de 90% dos casos.

O tratamento da doença evita complicações, como cirrose e câncer.

Prevenção

Algumas medidas simples podem evitar a doença: lavar bem as mãos; ingerir somente água filtrada ou fervida; lavar bem os alimentos antes do consumo; sempre usar preservativos nas relações sexuais; evitar contato com sangue; exigir material esterilizado ou descartável em consultórios médicos, dentários, salões de beleza, estúdios de tatuagem e colocação de piercing; não compartilhar agulhas ou seringas, lâminas de barbear, escova de dentes, entre outros hábitos de higiene padrão.

É importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina, que detectam as hepatites. Este cuidado é ainda mais importante nos seguintes casos: pessoas que não se imunizaram para hepatite B; ou que têm mais de 40 anos e que podem ter se exposto ao vírus da hepatite C no passado (transfusão de sangue, cirurgias).

Em Ibiporã, o teste rápido para hepatite B e C é disponibilizado gratuitamente em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Não é necessário agendar o exame, basta comparecer a UBS mais próxima à residência no dia e horário de realização com um documento com foto e cartão do SUS. O exame, sigiloso, é feito por meio de punção digital, e fica pronto em cerca de 30 minutos.

Dias da semana e horário de cada UBS para realização do Teste Rápido:

1) Centro de Saúde Eugênio Dal Molin (Centro) :  Toda quarta-feira.  Horário: 8:00 horas e as 14:00 horas.

2) UBS Olemário Mendes Borges (Jd. John Kennedy): Toda quarta-feira    horário: 8:00 horas

3) UBS Mauro José Pierro (Taquara do Reino) : Toda segunda-feira   horário: 7:00 horas

4) UBS Lafontaine Correa da Costa (Agenor Barduco) :  Toda quinta-feira   horário: 14:00 horas

5) UBS Antonio Carlos Gomes (Serraia) : Toda quarta-feira  horário: 8:00 horas

6) UBS Mauro Fel Filgueiras (Jd. San Rafael):  Toda quarta-feira   horário: 8:00 horas.

7) UBS Jose Silva Sá (Jardim Pérola) : Toda quinta-feira    horário: 8:00 horas.

8) UBS Wilson Costa Funfas (Vila Esperança): Toda quinta-feira   Horário: 9:00 horas

9) UBS Orlando Pelisson (Jd. Bom Pastor) : Toda quarta-feira. Horário: 8:30.

Vacina

Vale lembrar que há vacinas disponíveis contra hepatite B e contra hepatite A.

Hepatite A  - a vacina está disponível no SUS, sendo oferecida no Calendário Nacional de Vacinação para crianças de 15 meses a 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias), e  também imunodeprimidos.

Hepatite B: em crianças, é dada em quatro doses: ao nascer, 2,4 e 6 meses. Para os adultos que não se vacinaram na infância, são três doses a depender da situação vacinal. É importante que todos que ainda não se vacinaram tomem as três doses da vacina. Pessoas que tenham algum tipo de imunodepressão ou que tenham o vírus HIV, precisam de um esquema especial com dose em dobro.

A vacina também é oferecida a grupos prioritários, independentemente da faixa etária, como gestantes, manicures, pedicures, podólogos, caminhoneiros, bombeiros, policiais civis, militares, rodoviários, doadores de sangue, profissionais do sexo e coletores de lixo domiciliar e hospitalar.

Caroline Vicentini/NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios