Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Por recomendação do Ministério da Saúde, o restante do estoque de vacinas será aplicado na população em geral já que não foi atingida meta entre os grupos prioritários

A Prefeitura Municipal de Ibiporã, por meio do setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informa que, devido ao fim da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, nesta sexta-feira (31/05), o estoque restante da vacina – cerca de duas mil doses - foi liberado para toda a população do município, inclusive para aqueles que fazem parte dos grupos prioritários e que não se imunizaram antes.

Durante o período da campanha, de 10 de abril e 31 de maio, foram priorizados gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), crianças entre 6 meses a menores de 6 anos, idosos, indígenas, professores, trabalhadores de saúde, pessoas com comorbidades, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade, além de profissionais de segurança e salvamento.

Neste ano, o objetivo do Município é a imunização de 15.469 pessoas pertencentes aos grupos prioritários. A SMS segue a orientação do Ministério da Saúde, que busca atingir 90% de cobertura vacinal. Até quarta-feira (29), 13.484 pessoas (87,17%) pertencentes ao público-alvo haviam sido vacinadas.

Parciais de vacinação dos grupos prioritários

Crianças: 87,75%;

Gestantes: 60,42%;

Puérperas: 90%;

Trabalhadores de Saúde: 83,41%;

Idosos: 92,05%;

Professores: 81,4%;

Doentes Crônicos: 84,09%;

Meta: 15.469;

Total: 13.484 - 87,17%.

A vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87). A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

Contraindicações

A vacina é contra indicada para menores de 6 meses de idade. Pacientes com história de reação anafilática (reação alérgica grave) a um dos componentes da vacina devem passar por avaliação médica criteriosa sobre risco e benefício, antes da administração da nova dose. Em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.

O que levar quando for se vacinar?

Carteirinha de vacinação e documento oficial com foto.

NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios