Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cerca mil doses remanescentes da campanha que se encerrou no final de junho foram disponibilizadas gratuitamente para os munícipes

Quem ainda não se vacinou contra a gripe este ano pode garantir a proteção gratuitamente procurando as seguintes Unidades Básicas de Saúde (UBS): Centro de Saúde, Serraia, San Rafael, La Fontaine (Agenor Barduco), Jardim John Kennedy e Taquara do Reino. A Secretaria de Saúde solicita que as gestantes e puérperas procurem a UBS do Jardim Bom Pastor para se imunizar. Não é necessário agendar.

Segundo o setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, cerca mil doses remanescentes da Campanha Nacional de Vacinação, que se encerrou em 30 de junho, estão disponíveis para toda a população. Mesmo aquelas pessoas pertencentes aos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde (crianças de seis meses a menores de seis anos), gestantes, mulheres no pós-parto até 45 dias (puérperas), pessoas com comorbidades e adultos de 55 a 59 anos, idosos, profissionais de saúde, professores, pessoas com deficiência, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo, profissionais das forças de segurança e salvamento, população indígena, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas que não se imunizaram durante a campanha podem se vacinar agora.

Para se imunizar, basta levar documento pessoal com foto, carteira de vacina, prescrição, laudo ou receita médica para pessoas com deficiência e portadores de doença crônica, e comprovante profissional para trabalhadores da saúde, forças de segurança e salvamento, caminhoneiros, transporte coletivo e professores.

A vacina contra a influenza fornecida pelo Ministério da Saúde é composta por vírus inativado, e protege contra os três vírus que mais circularam no ano passado pelo hemisfério sul. São eles: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). Ela não evita a infecção pelo coronavírus, mas é especialmente importante porque protege a pessoa principalmente da contaminação e de quadros respiratórios mais graves e internamentos relacionados aos vírus da Influenza, contribuindo para o diagnóstico diferencial da Covid-19.

Cobertura vacinal em Ibiporã

Balanço parcial da Secretaria de Saúde aponta que 15.659 pessoas receberam a vacina contra a gripe em Ibiporã. A campanha começou no dia 23 de março. Conforme preconizado pelo Ministério da Saúde, a meta é atingir 90% de cobertura vacinal em cada um dos grupos prioritários. Em Ibiporã, este percentual foi atingido em três deles – idosos (121,40%), trabalhadores de saúde (110,69%) e professores (93,17%). Contudo, a cobertura de alguns grupos preocupa, como crianças de seis meses a menores de 6 anos – 54,17%; gestantes – 68,26%; puérperas – 55,56% e adultos de 55 a 59 anos – 45,82%.

 “Queremos chamar a atenção dos grupos prioritários, principalmente o das crianças que estão bem abaixo da meta preconizada pelo Ministério da Saúde. Pais e responsáveis, levem seus filhos para receberem a dose da vacina. Essa é uma forma eficaz e segura de evitar doenças respiratórias, principalmente nesse período de pandemia”, reforça  a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Vanessa Luquini.

Vacinação contra o sarampo

A campanha de vacinação contra o sarampo teve o prazo estendido e segue até o dia 31 de agosto, dirigida para adultos na faixa etária de 20 a 49 anos.

A primeira dose da vacina deve ser recebida pelos bebes aos 12 meses, e a segunda dose aos 15 meses. Adolescentes e adultos até 29 anos precisam de duas doses para estar protegidos, considerando o histórico vacinal. Adultos de 30 a 59 anos precisam de uma dose da vacina. Caso a pessoa não saiba se já tomou, deve receber uma dose da vacina.

Para se imunizar, basta comparecer à UBS portando um documento de identificação com foto e a caderneta de vacinação.

Sintomas do Sarampo

O sarampo é uma doença transmitida por secreções como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de 12 dias, mas a transmissão pode ocorrer antes do aparecimento dos sintomas e se  estender até o quarto dia depois que surgiram placas avermelhadas na pele.

O sarampo é uma doença potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro.

NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios