Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Promovida pela CAAPSML, a ação oferece, gratuitamente, o exame preventivo de mamografia para usuárias do Plano de Assistência à Saúde da instituição

A Caixa de Aposentadoria e Pensões dos Servidores Municipais de Londrina (CAAPSML) está promovendo, até a próxima quinta-feira (31), a 4º edição da Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama. Destinada a todas as usuárias do Plano de Assistência à Saúde da instituição, com idade igual ou superior a 35 anos, a ação envolve a realização gratuita do exame preventivo de mamografia, em qualquer clínica de imagem da cidade. A ação .possui parceria com todas as clínicas de imagem da cidade, além de apoio, por meio de palestras, do Instituto de Câncer de Londrina (ICL).

Para efetuar o diagnóstico não é necessária a apresentação de um pedido médico. Interessadas devem ligar para alguma clínica de confiança pessoal e fazer o agendamento. O resultado, depois de emitido, precisa ser levado a um médico especialista. A CAAPSML dispõe de uma ginecologista para garantir a continuidade do procedimento.

Iniciada no dia 1º de outubro, a ação ocorre, anualmente, desde 2016. Em 2018, 1.242 mulheres participaram do processo. “A campanha é uma forma de prevenção do público feminino. Uma maneira de alertar nossa usuária sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama. Há um estudo que diz que se a mulher detectar o câncer no início, ela tem 95% de chance de cura. Ou seja, há uma possibilidade significativa de reabilitação”, contou a diretora de Assistência à Saúde, Maria Terezinha Punhagui de Carvalho.

A campanha integra as ações do mês de conscientização ao câncer de mama, “Outubro Rosa”. Como o Plano de Assistência à Saúde da CAAPSML possui um modelo de coparticipação, um exame de mamografia, fora do calendário estipulado pela campanha, sairia por um valor de 30% do diagnóstico total. “O Outubro Rosa é uma mobilização para direcionar o olhar à saúde, especificamente, ao câncer de mama. A mulher precisa entender que o câncer não bate na porta. É preciso realizar o exame. Caso seja diagnosticada, o tratamento será muito mais rápido. É um alerta. Um fator de risco. Não é necessário ter medo, precisamos pensar que nós devemos fazer e cuidar”, disse a diretora.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios