Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou, na sexta-feira (12), o resultado do 3º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2016. Segundo os dados, o índice ficou em 0,3%. Com isso, Londrina deixou a situação de alerta epidemiológico, visto que abaixo de 1%, o Ministério da Saúde considera o percentual satisfatório.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Gilberto Martin, este foi o menor índice dos últimos três anos e meio. “Há muito tempo Londrina não conseguia um número desses, de 0,3%, que considero uma conquista fantástica de todos.”, explicou.  

De acordo com os dados oficiais, houve redução de 85% no índice em comparação com o último levantamento, realizado em abril deste ano, que era de 2% de infestação.  Dos 9.449 imóveis vistoriados, o maior índice de infestação foi na região central, que registrou 0,78%. Na sequência, aparecem as regiões oeste (0,28%), norte (0,27%), sul (0,25%) e leste (0,21%). 


Segundo os dados, 37,1% dos criadouros foram encontrados predominantemente em recipientes plásticos, garrafas e latas em ambientes peridomiciliares, isto é, em área compreendida em um raio de até 50 metros em torno do domicílio. Por outro lado, 31,4% deles eram da categoria de Depósitos Móveis, que inclui materiais como vasos, pratos, frascos com plantas, bebedouros de animais, entre outros.

Durante o 3º LIRAa de 2016, realizado de 1 a 5 de agosto, o setor de Endemias inspecionou 9.449 imóveis da área urbana, abrangendo 183 localidades de todas as regiões do Município. 

A diminuição expressiva do índice de proliferação do mosquito só foi possível devido a forte mobilização que está sendo realizada junto à comunidade. Isso vem ocorrendo por meio de diversas ações e trabalhos coletivos desenvolvidos com o suporte de uma rede de parcerias que inclui esforços de secretarias municipais, associações de bairro, empresas, igrejas, escolas, sociedade civil e várias entidades locais.

Dicas de combate à dengue - É possível combater o mosquito através de medidas simples como acondicionar o lixo de maneira correta; colocar areia nas bordas dos pratos de plantas e flores; limpar o bebedouro dos cachorros e gatos; remover as folhas e galhos que podem entupir as calhas de água; manter a caixa de água tampada; limpar lajes e locais que acumulam água e jogar latas, garrafas pets, copos e embalagens plásticas em sacos de lixo fechados, além de matar seus quintais limpos.

Informações N.Com/PML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios