Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Unidade passa a funcionar das 7 às 23 horas, por tempo indeterminado, devido ao aumento de casos de dengue registrados na cidade e no bairro

A Unidade Básica de Saúde da Vila Ricardo, região leste, passa a atender com horário ampliado, até as 23 horas, devido ao aumento dos casos suspeitos de dengue registrados no município. Após as 19 horas, o atendimento será exclusivamente voltado para os pacientes com suspeita da doença ou aqueles que já estão acometidos pela dengue. A unidade fica na Rua Rosa Branca, 300, e funciona a partir das 7 horas, de segunda a sexta-feira.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, explicou que a medida foi uma determinação do prefeito Marcelo Belinati para atender um possível aumento de procura pela unidade devido ao crescimento do número de casos suspeitos de dengue já registrados no bairro. Segundo ele, a ampliação do expediente acontecerá por prazo indeterminado. “A escolha da UBS da Vila Ricardo se deu por um critério epidemiológico e não descartamos a possibilidade de ampliar a medida para outras unidades de saúde”, contou.

A ação faz parte de um pacote de medidas que estão sendo executadas pela Prefeitura de Londrina, com objetivo de conter o avanço da doença no município. Isso porque os indicadores da doença neste ano são muito preocupantes, já que a cidade está com um alto risco de epidemia de dengue, apontado pelo 1º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2020, divulgado ontem.

Londrina já registra, do início de 2020 até agora, 1.047 casos notificados da doença. Destes, 64 foram confirmados, 98 descartados e 885 ainda estão em andamento, aguardando o resultado de exames laboratoriais. Também há duas mortes em investigação, que podem ter sido causadas pela doença.

Por conta disso, além da ampliação de atendimento na UBS da Vila Ricardo, a Prefeitura está aumentando o estoque de insumos necessários para atendimento a uma possível epidemia e ampliando o horário de realização de exames laboratoriais de retaguarda para dengue. Os profissionais da rede também estão sendo capacitados para o enfrentamento de uma possível epidemia.

Muitas medidas preventivas também estão sendo adotadas, por meio da campanha Londrina Unida Contra a Dengue, coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), como: mutirões de limpeza em todos os bairros da cidade, começando por aqueles que têm maior necessidade, e  ações de mobilização social.

LIRAa

O levantamento apontou que 85% dos focos de larvas do mosquito Aedes aegypti estão dentro de imóveis dos londrinenses, em locais como vasos de plantas, recipientes diversos, pneus, bebedouros de animais, tanques, entre outros. Por isso, a orientação da SMS é que a população vistorie suas casas e quintais, de uma a duas vezes na semana, para eliminar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, que além da dengue, transmite outras doenças. A dengue é uma doença perigosa, que nos casos mais graves pode levar ao óbito.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios