Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com a chegada de novas remessas da vacina, Saúde pretende finalizar a vacinação de professores da rede básica e do ensino superior

Ontem (15), o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, divulgou um balanço dos agendamentos realizados para o recebimento do imunizante contra o novo coronavírus. Segundo os dados, até domingo (20), mais de 20 mil pessoas devem receber a vacina contra a Covid-19, em Londrina.

Essas pessoas fazem parte da população acima de 50 anos, ou são professores e profissionais da educação básica e universitária com mais de 40 anos ou, ainda, aqueles que têm alguma comorbidade elencada no Plano Nacional de Imunização (PNI), além das gestantes ou puérperas. Eles agendaram um dia e horário, em uma das cinco salas de vacinação, que são: o Centro de Convivência da Pessoa Idosa (CCI Norte), que está funcionando como Centro de Imunização, e as Unidades Básicas de Saúde do Jardim do Sol, do Eldorado, do Ouro Branco e do Alvorada. A lista com os telefones e endereços desses locais pode ser conferida aqui. 

Conforme explicou o secretário de saúde, isso será possível, pois o Município tem recebido novas doses dos imunizantes contra Covid-19 com mais constância e em maior número. “Planejamos os cadastros e as validações de acordo com o número de doses disponíveis. Temos observado uma constância maior no envio de vacinas para Londrina, o que tem facilitado esse planejamento. Normalmente, entre quinta e sexta-feira acontece o envio aos municípios e se continuarmos recebendo mais doses nas quantidades que temos recebido, temos condições de ampliar para novos grupos de forma rápida e ágil e garantindo todos os requisitos de segurança que a pandemia impõe”, contou Machado.

Com a chegada das novas remessas da vacina para Londrina, espera-se finalizar a imunização dos professores da educação básica e do ensino superior nos próximos dias. A última foi recebida ontem (14), o que permitiu a abertura de 30 mil novos cadastros, ou seja, em um dia mais de 20 mil pessoas já agendaram o horário. A intenção é que o Município consiga atender aos prazos estipulados pelo Governo do Estado do Paraná, que prevê a imunização de todos os paranaenses com mais de 18 anos, até o mês de setembro deste ano.

Vacinômetro

Em média, estão sendo vacinadas de 3.500 a 4.000 pessoas diariamente em Londrina. Segundo o último vacinômetro divulgado ontem (15), pela Secretaria de Saúde, 169.533 pessoas tomaram a primeira dose contra a Covid-19 e 86.243 já receberam também a dose de reforço.

Ainda há casos em que os cidadãos podem tomar a vacina (pois seus cadastros foram validados), mas eles não agendam o horário. Nesses casos, os profissionais de saúde estão fazendo a busca ativa, ou seja, a Secretaria de Saúde envia mensagem ou faz o contato telefônico para chamar para se imunizar.

Além dessas, segundo Machado, existem indivíduos que estão agendando horário e indo até a sala de vacina, porém, buscam escolher a marca do fabricante da vacina que querem tomar, o que não é permitido ao paciente. “As pessoas precisam entender que temos que ter um senso coletivo muito maior do que nossa vontade individual. Todas as vacinas oferecidas passaram pelo crivo da Anvisa e pelos testes técnicos de segurança e eficiência. Precisamos ressaltar a importância de a população entender que não se deve buscar a sala de vacina com um laboratório pré-definido. Deve-se buscar se proteger, porque todas as vacinas são eficazes e seguras para as formas graves da doença”, finalizou Machado.

Investimentos

Para atender os casos de Covid-19, a Prefeitura de Londrina tem investido, desde o início da pandemia, quase R$ 5.000.000,00. O recurso financeiro tem sido aplicado na contratação de profissionais de saúde, na ampliação de leitos hospitalares, na compra de equipamentos médicos e de proteção individual para os trabalhadores (EPIs), e para a remoção de pacientes graves intra-hospitalar, ou seja, para serem deslocados da UPA do Jardim Sabará para os hospitais referenciados.

Leitos hospitalares

Durante a coletiva concedida à imprensa nesta terça, o secretário de saúde, Felippe Machado, lembrou que é preciso acelerar a abertura de leitos nos hospitais de Londrina. Para isso, a Prefeitura de Londrina já fez a cessão dos servidores municipais, que trabalharão nesses leitos ampliados e está fazendo a capacitação da mão de obra. Acredita-se que, nos próximos dias, o Hospital da Zona Norte deve conseguir abrir os 30 novos leitos de enfermaria, anunciados no Plano de Reestruturação da Saúde. Além deles, outros 10 foram abertos no Hospital da Zona Sul.

Rede Complementar

Além de novos leitos, a Prefeitura de Londrina disponibiliza a Unidade de Pronto Atendimento do Jardim Sabará (Upa) para casos mais graves de Covid-19 e nove Unidades Básicas de Saúde (UBS) exclusivas para o atendimento de casos de síndromes respiratórias. São elas: UBS do Guanabara; Chefe Newton; Maria Cecília; Vila Ricardo; Jardim Bandeirantes; Milton Gavetti; Vila Casoni; Ernani Moura Lima e UBS do San Izidro. Os endereços e horários de atendimentos você encontra aqui. 

Nas UBSs, a população que estiver com sintomas leves a moderados de Covid-19, como febre, tosse e dor de gargante e no corpo, pode procurar o atendimento médico. Os exames e testes para a doença são realizados na própria Unidade Básica de Saúde. Nos casos de resultados positivos para o novo coronavírus, o paciente poderá obter atestado médico, que o permitirá fazer o isolamento social correto, evitando assim a transmissão do vírus para outras pessoas.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios