Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A reunião da CPI da Pandemia da sexta-feira (18) contou com a presença dos médicos Francisco Cardoso e Ricardo Zimerman, que defendem o "tratamento precoce" para Covid-19 com o uso de cloroquina e outros medicamentos. Marcada pela participação principalmente de senadores governistas, o relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), optou por não fazer perguntas e deixou a sala após as explanações iniciais dos depoentes.

Questionado pelos senadores, Francisco Cardoso disse que sua posição favorável ao tratamento baseia-se em pesquisas, assim como em sua experiência pessoal. Para o médico, a cloroquina foi demonizada após estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) ainda nos primeiros meses da pandemia, quando 22 pacientes morreram. Cardoso disse considerar que esse estudo é "a maior vergonha científica dos últimos anos" e também garantiu que a cloroquina tem base científica.

Já Ricardo Zimerman destacou que o "tratamento precoce" não se resume à cloroquina, e que ele apresentaria bons resultados na prática. O médico acrescentou que Arábia Saudita e Irã incorporaram a hidroxicloroquina no tratamento contra a Covid-19, devido aos bons resultados que alcançaram nesses países. 

Em protesto contra a fala do presidente Jair Bolsonaro em live na quinta-feira (17), a favor da "imunização de rebanho", o relator da CPI, Renan Calheiros, comunicou que preferia não fazer perguntas aos médicos. No entender do senador, o Brasil tem falhado ao não se pautar exclusivamente na ciência no combate à Covid-19. Após a fala ele se retirou, o que causou revolta nos senadores governistas.

Fonte: Brasil 61

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.