Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com a habilitação do novo serviço, R$ 849,6 milhões por ano serão incorporados aos recursos de média e alta complexidade do estado do Paraná

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, assinou na sexta-feira (14) portaria que habilita o Hospital Metropolitano de Sarandi, no Paraná, como Unidade de Assistência em Alta Complexidade em Terapia Nutricional Enteral e Parenteral. Com isso, o estado passa a contar com o reforço de R$ 849,6 milhões por ano, que será acrescido nos recursos repassados pelo Ministério da Saúde para custeio de procedimentos de alta e média e alta complexidade do estado. A previsão para este ano é que o Fundo Estadual de Saúde do Paraná receba R$ 2,3 bilhões.

Durante a assinatura da portaria, o ministro da Saúde ressaltou o esforço que a atual gestão tem feito para dar mais eficiência à gestão. “Já conseguimos economizar R$ 1, 052 bilhão nos primeiros 100 dias de gestão, e que estão sendo aplicados em mais saúde. Neste sentido, a partir deste mês, pagaremos R$ 550 milhões para 99 UPAS e 216 hospitais filantrópicos, como o Hospital Metropolitano de Sarandi. São serviços que já vinham fazendo seu trabalho, mas sem a contrapartida do governo federal”, informou o ministro.

A terapia nutricional enteral e parenteral é feita pela veia, quando o paciente não têm condições clínicas para se alimentar normalmente. “Este recurso facilita bastante para o gestor da unidade, que passa a contar com mais verba para custear essa terapia, de suma importância para a vida do paciente”, afirmou o ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante a assinatura da Portaria que determina a incorporação do recurso.

O Hospital Metropolitano de Sarandi é um hospital geral de alta complexidade que atende diversas especialidades, entre elas cirurgia vascular, neurologia, saúde auditiva e bucal, oftalmologia, transplante, urgência e emergência, neurologia e cardiologia. São 245 médicos que atendem a população gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Do total de 194 leitos da unidade hospitalar, 140 são reservados para o atendimento SUS. É o único hospital da cidade.

No ano passado, o hospital realizou 6.848 internações e 41.747 atendimentos ambulatoriais. Neste ano, até agosto foram 4.881 internações e 37.245 atendimentos ambulatoriais.

Fábio Ruas/Agência Saúde

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios