Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Foram 182 pessoas vacinadas apenas hoje na primeira instituição; neste grupo, a vacina será aplicada em aproximadamente mil pessoas

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), começou a imunizar, ontem (20), pessoas idosas atendidas em Instituições de Longa Permanência (ILPIs) de Londrina, bem como os profissionais de saúde e demais colaboradores que atuam nestes espaços. O Asilo São Vicente de Paulo, o maior do município, localizado na região sul, foi a primeira das instituições a receber a aplicação de doses da vacina contra a Covid-19, a Coronavac. Ao todo, 182 pessoas foram vacinadas em uma mesma ação, sendo 110 idosos e mais 72 funcionários que ali prestam serviços.

As atividades dão continuidade à primeira etapa de vacinação contra a Covid-19 no município, iniciada ontem (19), e que prevê a imunização de 26 mil pessoas. Um total de nove mil doses, do primeiro lote entregue pelo governo estadual, deverá ser aplicado até o final desta semana, conforme previsão da SMS. Isto dependerá da logística em cada unidade contemplada nestes primeiros dias de campanha.

O secretário municipal de Sáude, Felippe Machado, destacou que a Prefeitura imunizará aproximadamente mil pessoas deste grupo prioritário, abrangendo todos os 600 idosos e 400 colaboradores dos 20 asilos existentes na cidade. “Esta vacinação contemplará 100% dos idosos residentes e dos profissionais das instituições conveniadas ao Município e também particulares. São pontos que precisam de atenção especial, devido à vulnerabilidade do público atendido, que compõe o grupo de alto risco. É fundamental promover rapidamente a imunização contra o novo coronavírus nestes espaços, assim como em tantos outros onde as equipes da Saúde já estão atuando”, afirmou.

O médico geriatra e professor da UEL Marcos Cabrera, coordenador da vacinação realizada hoje, e voluntário há 27 anos do Asilo São Vicente de Paulo, enfatizou a importância deste dia. “É muito marcante e emocionante para essa população começar a receber a primeira dose da vacina. O último ano foi de muito medo, insegurança e instabilidade para os idosos e também aos profissionais da saúde, com todo o receio de contaminação e restrições. Durante esse período não faltou nada aos idosos, que foram sempre muito bem assistidos, mas eles sentiram falta das visitas de familiares e pessoas, do carinho, afeto e atenção que estavam acostumados a receber. Vivemos agora um momento de grande mudança, que era tão aguardado, trazendo esperança a todos. Esperamos que seja algo histórico, o início do retorno à vida normal”, disse.

Residente no asilo, há cerca de meia década, Vanderlei da Silva Santos, 75 anos, celebrou a chegada da vacina. “A gente aguardava muito por isso, depositamos muita esperança para que viesse logo. Foi ótimo poder receber a dose juntamente com todos aqui. A vacina algo muito bom, mas as pessoas precisam entender que é importante continuar tomando os cuidados até que a situação fique melhor”,  afirmou.

Para a auxiliar de serviços gerais, Stefani Garcia, 37, a sensação dos trabalhadores passa a ser de maior segurança após a vacinação. “O sentimento geral é de alívio, pois será possível continuar realizando os serviços com um pouco mais de tranquilidade agora. Os funcionários vêm de fora e estão sempre em contato com os idosos atendidos. A expectativa é de melhoras para que o vírus não venha a progredir mais. Creio que é uma vitória para a população o começo da vacinação”, comentou.

Outro a ser imunizado foi o fisioterapeuta português Nuno Bispo, 53, que trabalha em Londrina desde 1999, e presta serviços a este asilo desde o ano passado. “Os idosos merecem serem protegidos contra este mal que é o coronavírus, pois formam um grupo de pessoas mais debilitadas. É também bom para nós, profissionais da área da saúde, que atendemos essas pessoas no dia a dia, sendo o risco sempre alto, mesmo tomando todas as precauções sanitárias e de segurança. O início da vacinação é primordial para reduzir a proporção de contaminação pela Covid-19, para a saúde em geral, e ajudará a salvar muitas vidas”, analisou.

Vacinação

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, informou que várias equipes volantes foram montadas e seguem atendendo em uma série de pontos da cidade. Segundo ele, desde terça-feira (19), cerca de 1.750 profissionais da saúde tinham recebido a vacina (atualizado às 18h de 20/1). Sete equipes de vacinação vem prestando os serviços em locais como Hospital Universitário (HU), Pronto Atendimento Infantil (PAI), UPA Sabará, duas unidades do Hospital do Coração, iniciando também no SAMU e agora nos asilos.

 “Temos 25 mil profissionais de saúde em Londrina e, nesse primeiro instante, houve decisão de priorizar os profissionais que estão na assistência direta contra o coronavírus, que foram elencados como os primeiros a receberem as doses. Ampliaremos a assistência aos profissionais da saúde, tão logo outros lotes cheguem a Londrina”, frisou Machado.

NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.