Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Resposta ao João

Hospital convida população para tentar convencer João sobre a importância de ser um doador de órgãos.

Assista: https://www.facebook.com/hnsgcuritiba/videos/1518545948354207/

No próximo domingo (27) é o Dia Mundial da Doação de Órgãos. Buscando chamar atenção à data, o Hospital Nossa Senhora das Graças, de Curitiba, encontrou uma forma diferente de falar sobre o assunto. Convidou João, que não é doador de órgãos, para ir numa praça da cidade ouvir o que as pessoas falam sobre o tema e quem sabe tentar convencê-lo.

O momento foi gravado e publicado nas redes sociais do hospital com um pedido: O que você diria para tentar convencer o João?. As respostas podem ser realizadas na publicação ou pelas redes sociais com a hashtag #respostaaojoao.

"A doação de órgãos ainda é um assunto que tem muitas crenças e tabus. A decisão final é da família e por isso devemos falar sobre o assunto, para não ficar muitas incertezas. Nós como hospital, temos a missão de informar à população que esse gesto de amor pode salvar muitas vidas. Quanto mais pessoas souberem, mais vidas serão salvas", diz o cirurgião geral Dr. Eduardo Ramos, Chefe do Serviço de Transplante Hepático do HNSG.

No Dia Mundial da Doação de Órgãos o hospital vai revelar se João se mudou de ideia. Atualmente, de acordo com a Central de Transplantes do Paraná, 2099 paranaenses aguardam na fila por um órgão para transplante. O HNSG é referência em transplante de fígado.

É preciso avisar sua família

A lei 9.434 estabelece que doação de órgãos pós morte só pode ser feita quando for constatada a morte encefálica. A doação só pode ser feita com autorização da família. Por isso, é importante conversar com familiares sobre o desejo de ser doador.

O que é a morte encefálica?

É a parada definitiva e irreversível das atividades cerebrais, provocando em poucos minutos a falência de todo o organismo. O diagnóstico é feito por especialistas de medicina intensiva e neurologia que comprovam com exames que o cerébro parou de funcionar.

Quem recebe os órgãos?

Pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única, definida pela central de transplantes da secretaria de saúde de cada estado.

Ocorre com base em:

    Gravidade da doença,

    Tempo de espera em lista,

    Tipo sanguíneo,

    Compatibilidade anatômica com o órgão doado

    Outras informações médicas importantes.

Órgãos que podem ser doados:

    Coração

    Rins

    Pâncreas

    Pulmões

    Fígado

    Tecidos, como: córneas, pele, ossos, valvas cardíacas e tendões.

Cada pessoa que decide ser um doador pode salvar através de seus órgãos até 9 vidas.

Monica Neves/Asimp

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.