Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Elas representam um terço dos casos confirmados. Número dos que já estão liberados do tratamento supera os de pacientes que estão internados no momento, que somam 134 pessoas.

Um terço dos pacientes que foram confirmados com o novo coronavírus no Paraná já estão liberados do tratamento. Os últimos dados da Secretaria da Saúde mostram que 281 pessoas estão recuperadas no Estado. São 125 pacientes em Curitiba e 156 nos demais municípios paranaenses.

É considerado recuperado o paciente que teve o teste do coronavírus confirmado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) ou pelos laboratórios particulares credenciados e não apresenta mais os sintomas passados 14 dias após o início da doença.

O boletim divulgado ontem (16) pela Saúde confirmou 845 casos no Paraná, desde meados de março (13 pacientes não residem no Estado).

O número de recuperados também supera os de pacientes que estão internados no momento por causa da Covid-19, que hoje são 134 pessoas.

Perfil

Considerando apenas os dados da Secretaria de Estado da Saúde – em Curitiba, o controle é feito pela secretaria municipal – os pacientes recuperados têm de 8 a 90 anos de idade.

A faixa etária dos 30 aos 39 anos conta com o maior número de liberados do tratamento - 31% do total. Pacientes com mais de 60 anos são 25% dos recuperados.

Recuperado

O caso do engenheiro agrônomo Gustavo Czelusniak, de 24 anos, representa a maioria das situações das pessoas contaminadas pelo novo coronavírus, em que os sintomas da doença se confundem com o de uma síndrome gripal leve, sem maiores problemas.

Ele fez uma viagem a trabalho para São Gabriel do Oeste, no Mato Grosso do Sul, e começou a sentir os primeiros sintomas na noite de 19 de março. “Eu estava no hotel quando começou um resfriado. Foram sintomas simples, meu nariz começou a ter coriza e o meu olho a lacrimejar”, conta. “Mas meu gestor também não estava bem e tinha feito o exame, e avisou as outras pessoas que tiveram contato com ele, que era o meu caso”, diz.

Além dos primeiros sintomas, Gustavo também sentiu dor no corpo, febre, nariz trancado e uma tosse seca. “Mas nada muito alarmante”, diz. “No dia seguinte já não fui trabalhar e só saí do hotel para buscar um pronto-atendimento na cidade, e a médica me pediu 14 dias de isolamento. Nem eu ou meu gestou sabemos onde pegamos, porque rodamos algumas cidades do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul”, explica.

O engenheiro resolveu voltar para casa, em Palmeira, para fazer o isolamento em um cômodo separado dos demais familiares. Mesmo antes de chegar na cidade, sua mãe já tinha entrado em contato com a secretaria municipal de Saúde, e agentes epidemiológicos do município acompanharam o seu caso.

“Fiquei em um quarto, sem contato com ninguém em casa. Minha mãe lavava comida até a porta, não tivemos contato. O isolamento deu certo porque eles estão bem e não apresentaram sintoma algum até hoje”, afirma Gustavo, que mora com os pais e o irmão, além dos avós na casa ao lado, ambos do grupo de risco.

Gustavo foi liberado no dia 2 de abril, 72 horas depois que todos os sintomas cessaram completamente, e agora já retomou a rotina de trabalho.

Superação

A equipe do Detran-PR comemora a cura do colaborador Vando Dobranski,  que vinha lutando contra Covid-19 e esteve 20 dias internado, sendo 18 deles na Unidade de Terapia Intensiva. Teve alta e foi para casa nesta sexta-feira (17), sob aplausos dos profissionais da Saúde que o atenderam. 

O servidor é recém aposentado. “Essa é uma notícia de esperança para todos”, comentou o diretor-geral do Detran-PR, Cesar Vinicius Kogut.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios