Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Unidades Básicas de Saúde prepararam uma série de ações para conscientizar a população sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e colo uterino

Em apoio à campanha Outubro Rosa, movimento mundial de conscientização sobre o câncer de mama e colo uterino, a Prefeitura Municipal de Ibiporã, por meio da Secretaria de Saúde, preparou uma série de atividades para conscientizar a população sobre a prevenção e diagnóstico precoce destas doenças.

Fachadas das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e órgãos públicos de Ibiporã estão decoradas com faixas cor-de-rosa em apoio ao movimento internacional.

As unidades de saúde também estão com uma programação especial durante o mês, realizando exames preventivos de mama e colo uterino em horários diferenciados, teste rápido para sífilis e hepatites virais, palestras e atividades educativas.

O lançamento da campanha em Ibiporã será no próximo sábado (05), no Centro de Saúde Doutor Eugênio Dal Molin (Centro). Neste dia, das 8 às 13 horas, haverá uma programação especial voltada às mulheres, tais como exame citopatológico de colo de útero (preventivo), exame clínico das mamas e solicitação de mamografia para a faixa etária de 50 a 69 anos (faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde para rastreabilidade), realização de teste rápido de sífilis e hepatites virais, auriculoterapia e ações educativas pela equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF).

A Secretaria de Saúde recomenda que as mulheres residentes na área urbana agendem os exames durante a semana para facilitar o atendimento no sábado. As pacientes que não estão referenciadas no Centro de Saúde devem procurar a UBS mais próxima de sua residência para se informar sobre a programação.

O objetivo da campanha é compartilhar informações sobre o câncer de mama e, mais recentemente, câncer do colo do útero, promovendo a conscientização sobre as doenças, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e contribuindo para a redução da mortalidade.

Em 2019, a campanha do Instituto Nacional do Câncer (INCA) no Outubro Rosa tem como tema "Câncer de mama: juntos, sem medo". O objetivo é fortalecer as recomendações do Ministério da Saúde para o rastreamento e o diagnóstico precoce do câncer de mama e desconstruir o medo da doença. “O diagnóstico precoce ainda é o maior aliado para o tratamento eficaz dos cânceres de mama e colo do útero. Quando identificados cedo podem ser tratados, impedindo que o tumor alcance outros órgãos”, ressalta a coordenadora da Divisão de Programas de Saúde, Tissiane Soares Seixas de Mattos.

O que é o câncer de mama?

É o crescimento desordenado (maligno) de células da mama que invadem os tecidos e órgãos, podendo se espalhar para outras regiões do corpo (metástase). O câncer de mama é o mais frequente e uma das principais causas de morte em mulheres.

O que é o câncer do colo do útero?

É causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano - HPV (chamados de tipos oncogênicos).

A infecção genital por esse vírus é muito frequente e não causa doença na maioria das vezes. Entretanto, em alguns casos, ocorrem alterações celulares que podem evoluir para o câncer. Essas alterações são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolaou ou Papanicolau), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso, é importante a realização periódica desse exame.

Principais sintomas:

Câncer de mama

- Aparecimento de um nódulo na mama ou axila;

- Alteração na forma ou tamanho da mama;

- Alteração no aspecto da pele da mama ou do mamilo;

- Saída de secreção pelo mamilo

Câncer do colo do útero

O câncer do colo do útero é uma doença de desenvolvimento lento, que pode não apresentar sintomas em fase inicial. Nos casos mais avançados, pode evoluir para sangramento vaginal intermitente (que vai e volta) ou após a relação sexual, secreção vaginal anormal e dor abdominal associada a queixas urinárias ou intestinais.

Fatores de risco:

Câncer de mama

- Ter mais de 50 anos;

- Maternidade tardia;

- Tratamento com hormônios femininos;

- Histórico familiar;

- Uso de álcool e fumo

Câncer do colo do útero

- Início precoce da atividade sexual e múltiplos parceiros;

- Tabagismo (a doença está diretamente relacionada à quantidade de cigarros fumados)

- Uso prolongado de pílulas anticoncepcionais

Prevenção e diagnóstico precoce

Câncer de mama

É possível diminuir o risco de a mulher apresentar o câncer de mama durante a sua vida por meio da adoção de hábitos saudáveis, tais como:

- Alimentação saudável;

- Atividade física;

- Controle do peso corporal;

- Não consumir bebida alcoólica e cigarro

- Exame clínico das mamas: anualmente;

- Mamografia de rastreamento: mulheres entre 50 e 69 anos, com intervalo máximo de dois anos entre os exames.

Mulheres do grupo de risco, a partir dos 35 anos, devem começar a fazer o exame anualmente. Consulte a equipe de saúde para saber se você faz parte deste grupo.

Câncer do colo do útero

A prevenção primária do câncer do colo do útero está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo Papilomavírus Humano (HPV). A transmissão da infecção ocorre por via sexual, presumidamente por meio de abrasões microscópicas na mucosa ou na pele da região anogenital. Consequentemente, o uso de preservativos (camisinha masculina ou feminina) durante a relação sexual com penetração protege parcialmente do contágio pelo HPV, que também pode ocorrer pelo contato com a pele da vulva, região perineal, perianal e bolsa escrotal.

Vacinação contra o HPV

O Ministério da Saúde implementou no calendário vacinal, em 2014, a vacina tetravalente contra o HPV para meninas de 9 a 13 anos. A partir de 2017, o Ministério estendeu a vacina para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.

Exame preventivo

O exame preventivo do câncer do colo do útero (Papanicolau) é a principal estratégia para detectar lesões precursoras e fazer o diagnóstico precoce da doença. O exame pode ser feito em postos ou unidades de saúde da rede pública que tenham profissionais capacitados. Sua realização periódica permite reduzir a ocorrência e a mortalidade pela doença.

Idade de realização dos exames:

- Toda mulher que tem ou já teve vida sexual e que estão entre 25 e 64 anos de idade;

- Os dois primeiros exames devem ser realizados com intervalo de um ano. Se os resultados forem normais, o preventivo poderá ser feito a cada três anos;

Fonte: Instituto Nacional do Câncer (INCA)

NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios