Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Vacina fortalece o sistema de saúde e a confiança no trabalho dos profissionais, segundo prefeito David Almeida

A CoronaVac, vacina produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac e pelo Instituto Butantan, apresentou 50% de eficácia contra a Covid-19 em estudo realizado com profissionais de saúde de Manaus (AM). A pesquisa, conduzida pelo grupo Vebra Covid-19 em parceria com a prefeitura da capital amazonense, é a primeira que avalia o impacto do imunizante em locais onde predomina a variante P.1, identificada no Brasil.

A taxa foi alcançada após 14 dias da administração da 1ª dose em 67.718 profissionais de saúde na capital amazonense. Os dados relativos à efetividade depois de 14 dias da 2ª dose, porém, ainda estão em fase de coleta.

De acordo com o prefeito de Manaus, David Almeida, os resultados são excelentes e representam alívio não só para a população da cidade, mas para o Brasil e o mundo. "Manaus passou por um momento delicado, mas conseguimos imunizar os profissionais de Saúde com agilidade. O resultado do estudo reafirma nossa confiança e demonstra que estamos no caminho certo para vencermos a nova variante com segurança e superarmos outras dificuldades impostas pela pandemia", afirmou.

A pesquisa é a primeira no Brasil a avaliar o impacto do imunizante em locais onde há predominância da nova cepa. Para isso, foram utilizados dados dos sistemas de informação digital da Prefeitura de Manaus, uma iniciativa inovadora para o registro e acompanhamento da situação dos profissionais de saúde no município.

"Toda a nossa base de dados da Semsa [Secretaria Municipal de Saúde] continua à disposição das instituições de pesquisa, para ajudar a entender e mapear esse novo coronavírus. Manaus, além de ser a capital que mais vacinou em todo o país, também investe em tecnologia e parcerias para tornar mais efetivas as ações contra a Covid-19", ressaltou o prefeito David Almeida.

Os resultados finais da pesquisa devem ser divulgados a partir de 2022. O grupo Vebra Covid-19, que conduz o estudo, é formado por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), que tiveram apoio direto da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa Manaus), junto com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Rafaella Panceri/Asimp/Prefeitura de Manaus

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.