Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Infectologista explica importância do imunizante e sua relevância na saúde pública

Nunca foi tão importante tomar a vacina da gripe, ainda mais em plena pandemia da Covid-19. A imunização contra a doença pode auxiliar na maior proteção contra outras infecções advindas da gripe, no rápido diagnóstico dos sintomas do novo coronavírus e na diminuição da procura por atendimento médico.

"Desde a pandemia da H1N1, em 2009 - nada comparada a atual pandemia de Sars-Cov-2 – a vacinação para influenza foi intensificada, baseada nas cepas prevalentes a cada ano”, afirma a infectologisa e médica intensivista do Hospital Universitário (HU) de Londrina, Claudia Carrilho. “Isso evitou um grande número de infecções, de óbitos e índice de absenteísmo no trabalho", complementa.

A médica reforça que a imunização contra a gripe deve ser feita nos próximos meses. Isso porque entraremos na época da influenza sazonal cuja circulação do vírus da gripe no outono-inverno se intensifica. "Todas as pessoas com indicação de receber a vacina anual da gripe devem se vacinar para sua proteção, para proteção de quem convive junto, para não piorar a sobrecarga do sistema de saúde e para não confundir o diagnóstico frente a um quadro gripal, pois fica mais fácil descartar a infecção da Covid-19 em pessoas imunizadas", orienta.

O vírus da gripe contém diferentes cepas que podem evoluir para casos graves cujo tratamento depende de estruturas como a UTI. "Pensando que é uma doença prevenível e com possibilidade de tratamento, pois existem anti-virais para influenza, é muito importante toda forma de prevenção, pois a gripe pode sim evoluir para formas graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)", alerta a infectologista.

Carrilho destaca que a imunização é fundamental no combate às doenças infecciosas e que a saúde pública do Brasil foi muito beneficiada com a aplicação de vacinas. "Toda forma de prevenção é válida e as vacinas em geral sempre foram importantes aliadas da saúde pública, desde a erradicação de doenças – como poliomielite, sarampo, varíola - como a redução importante de casos, como varicela, pneumonia, hepatite, meningite e também influenza", enumera.

Para as pessoas que tomaram ou irão tomar a vacina da Covid-19, Claudia informa que é necessário respeitar um intervalo de duas semanas entre cada uma dessas vacinas - seja a primeira ou segunda dose do imunizante contra a Covid-19.

A campanha de vacinação contra a gripe na rede pública está prevista para começar na segunda quinzena de abril. Na Clínica de Vacinas da Unimed Londrina, clientes e não clientes da operadora já podem fazer a reserva e o agendamento da aplicação da vacina no site www.unimedlondrina.com.br. A dose disponível na clínica é a tetravalente (protege contra quatro tipos de vírus da gripe) e o valor é de R$ 120.

Bruno Petri Nascimento /Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.