Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

População deve circular menos e cancelar viagens, sempre que possível, e usar máscaras de proteção o tempo todo, em ambientes fechados ou abertos

O prefeito Marcelo Belinati orientou a população de Londrina, na live realizada no último domingo (23), sobre os cuidados que devem ser tomados nos próximos dias. Durante a transmissão, veiculadas nas rede sociais do Município, o prefeito esteve acompanhado do secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, apresentando os dados oficiais sobre a Covid-19 em Londrina, nas macrorregiões do Estado e no Paraná.

As principais orientações dadas pelo prefeito são: circular menos, ou seja, fazer apenas o que for indispensável; usar máscaras de proteção o tempo todo, em ambientes fechados ou abertos; e cancelar viagens, caso seja possível, por conta da variante indiana que chegou no nordeste.

 “Faço um apelo para que as pessoas se cuidem, para não contraírem o vírus. Executem as medidas de prevenção, como o uso de máscaras de proteção o tempo inteiro, a higiene das mãos, com água e sabão ou álcool em gel 70%, e o distanciamento social, sempre que possível. Se as pessoas se cuidarem não precisamos fechar lugares, nem determinar medidas mais restritivas. Pedimos também para os que puderem circularem menos, nos próximos dias. A variante indiana já chegou no Brasil e não sabemos o que ela pode ocasionar”, solicitou.

Segundo o prefeito Marcelo, está havendo um aumento no número de casos positivos de Covid-19 em todo o Brasil. “E isso se soma a um problema muito maior, que é a gravidade dos casos que estão acontecendo agora, pois a variante de Manaus está provocando casos mais graves e uma rápida evolução, inclusive não poupando pessoas jovens. Muitos jovens estão se contaminando e morrendo, mesmo sem ter nenhuma comorbidade”, afirmou.

Marcelo ressaltou, ainda, que há indicativos de que o Brasil pode passar por uma terceira onda da doença em breve. “Temos registrado aumento no número de casos, na quantidade de atendimentos, na taxa de transmissão e de ocupação dos leitos hospitalares, e isso é preocupante”, apontou.

Durante a live, o prefeito pediu para a população descentralizar o atendimento, relacionado aos casos suspeitos de Covid-19, da UPA Sabará, maior local de atendimento destes casos da cidade, para não haver uma super concentração de pessoas no local. Segundo ele, o município disponibiliza cinco Unidades Básicas de Saúde (UBSs), exclusivamente para atender os casos de Covid-19, as quais também disponibilizam os testes de coronavírus. São elas: UBS do Guanabara (central), da Vila Ricardo (leste), do Jardim Maria Cecilia e do Chefe Newton (norte), e do Jardim Bandeirantes (oeste).

“Solicitamos, aos que tiverem sintomas suspeitos de coronavírus, que passem primeiro nestas unidade de saúde, antes de ir para a UPA, para descentralizamos e diluirmos o atendimento por toda Londrina, a fim de não sobrecarregar a UPA”, pediu o prefeito. A UPA do Sabará registrou aumento no número de casos atendidos. O mês de maio já registra 8.196 atendimentos realizados, contra 7.863 em abril.

Ocupação de leitos

No momento, o estado do Paraná tem uma ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), exclusivas para os casos de Covid-19, de 96%. A Macro Leste, região de Curitiba, possui ocupação de 95%; a Macro Oeste, da região de Cascavel, 97%; a Macro Noroeste, da região de Maringá, está com 95%; e a Macro Norte, de Londrina, uma ocupação de 95% de leitos de UTI. “Isso demonstra que estamos com os hospitais quase lotados em todo o Paraná”, frisou o prefeito.

Os dados apontaram, ainda, a demanda reprimida de leitos em todo o Estado. Há 1.078 pacientes aguardando internação em leitos de Covid-19, seja de UTI ou de enfermaria, sendo 181 na Macro Noroeste, 158 na Macro Oeste, 122 na Macro Norte e 617 na Macro Leste. Esta demanda se refere a pacientes que precisam ser transferidos de um hospital para outro ou que estão dentro de um hospital e precisam ser transferidos da enfermaria para a UTI ou de uma unidade semi-intensiva para a UTI ou enfermaria, e estão aguardando vagas. “Em cinco dias, saímos de uma demanda reprimida de 200 para mais de 1.000. Isso mostra como a velocidade dos casos realmente está aumentado”, reforçou Felippe.

Média Móvel

Os dados também apontam um aumento na média móvel de casos. Foi registrada uma média móvel de 254 novos casos, com relação aos últimos sete dias. Há 14 dias, a média móvel era de 153 casos. “Houve um aumento relevante nos casos confirmados. Neste momento, temos uma positividade, em Londrina, de 29%. Isso significa que, de cada 100 exames realizados, 29% se positivam, e no estado do Paraná a positividade chega a 40%. Isso também mostra a tendência de aumento que estamos vivendo novamente”, alertou o secretário de Saúde.

Índice de transmissão

O índice de transmissão, indicador que mede a velocidade da pandemia – está em 1,04, contra 0,96 registrado na semana anterior, também demonstrando que a pandemia está em aceleração. Significa que cada 100 pessoas com Covid-19 vão transmitir o vírus para outras 104 pessoas. Quando este índice está abaixo de 1, demonstra uma desaceleração da pandemia e, acima de 1, que está em aceleração.

Casos positivos – Sobre os casos positivos por mês, o município fechou abril com 5.355 e maio já registra 4.602 casos positivos. “A estimativa é que o número de casos do mês de maio seja superior ao de abril, pois ainda temos mais uma semana para fechamos o mês. Esse é outro indicador que nos preocupa e indica a possível chegada de uma nova onda”, explicou Machado.

Óbitos

Também foi apresentado, na transmissão ao vivo, o quadro de casos e de óbitos por faixa etária, de todo acumulado da pandemia, em Londrina. Entre pessoas com 0 a 9 anos foram 1.455 casos confirmados (2,61% dos casos) e nenhum óbito; de 10 a 19 anos, 3.819 casos (6,85% dos casos) e nenhum óbito; de 20 a 39 anos, 23.262 casos (41,72% dos casos) e 59 óbitos (4,25% dos óbitos); de 40 a 59 anos, 18.616 casos confirmados (33,39% dos casos) e 263 óbitos (18,95% das mortes); mais de 60 anos, foram 8.599 casos (15,42% dos casos) e 1.066 mortes (76,80% dos óbitos).

O boletim do último domingo apontou 227 novos casos confirmados de coronavírus no dia, com um acumulado de 55.751 casos, desde o início da pandemia. Também houve 75 novos casos curados, de um acumulado de 53.530. Ontem (23), não foi registrado óbito. O acumulado de óbitos, desde o início da pandemia, é de 1.388. 

Testagem

Com relação aos testes, Londrina continua sendo a cidade que mais realiza testes em todo o Estado do Paraná. Já foram feitos 169.451 testes, do tipo RT-PCR, que é considerado o padrão outro para o diagnóstico da Covid-19. Do total de testes realizados, 55.751 foram confirmados, 113.626 descartados, e 74 estão aguardando o resultado. 

Ocupação de leitos

Durante a live foi exibida, ainda, a taxa de ocupação de leitos do município. A ocupação de leitos de enfermaria, entre os do SUS e do sistema privado, é de 61%, e da UTI geral é de 91%. Dos 339 leitos de UTI disponíveis em Londrina para adultos, 308 encontram-se ocupados. Já a ocupação da UTI pediátrica, é de 62%, ou seja, dos 71 leitos disponíveis, 44 estão ocupados neste momento.

Com relação os leitos do SUS, exclusivos para covid-19, dos 196 leitos disponíveis de enfermaria, 92% estão ocupados, e a taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 100%, ou seja, todos os 146 leitos disponibilizados estão ocupados. Sobre as UTIs pediátricas dos SUS, dos 14 leitos disponíveis, três estão ocupados neste momento.

Vacinação

Com relação ao número de pessoas vacinadas em Londrina, até domingo (23) o município registrou 131.735 londrinenses vacinados com a primeira dose, dos quais 79.144 também receberam a segunda dose.

“A vacinação está avançando. Londrina, percentualmente, é uma das cidades que mais vacinou. Além disso, recentemente enviamos uma carta, para a Presidência da República, junto com outros prefeitos, por meio da Frente Nacional dos Prefeitos, pedindo autorização para vacinarmos também as pessoas sem comorbidades, ampliando as faixas etárias. Contudo, neste momento, precisamos do esforço de cada um, para que possamos salvar vidas e preservar a atividade econômica das pessoas”, finalizou o prefeito Marcelo Belinati.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios