Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

De forma voluntária, docentes e acadêmicos confeccionam EPIs e álcool gel para doação

Estudantes e professores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) estão se mobilizando para dar suporte à sociedade na prevenção e no enfrentamento ao Covid-19. De forma voluntária, diversas iniciativas surgiram na Universidade para a produção e distribuição de álcool gel e de equipamentos de proteção individual (EPIs) para profissionais da área da saúde.

 Desde segunda-feira (23), já saíram mais de 500 unidades de face shields e óculos de proteção do Labmaker, o laboratório de protótipos 3D da Escola de Arquitetura e de Belas Artes da PUCPR.  Com apenas um voluntário trabalhando de forma isolada no local, por motivos de segurança, um equipamento é produzido a cada 2,5 minutos. O material será doado para o Hospital Universitário Cajuru e para o Hospital Marcelino Champagnat, que atendem casos suspeitos da doença. Devido a pandemia, a demanda por esses equipamentos aumentou. Em breve, doações também serão realizadas para o Hospital do Trabalhador.

“Estes materiais são recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e fundamentais para que os profissionais da saúde não fiquem expostos ao novo vírus e consigam seguir realizando seu trabalho no combate à doença “, explica Cristina Baena, professora da PUCPR e coordenadora do Centro de Estudo, Pesquisa e Inovação dos Hospitais do Grupo Marista (CEPI).

Já dos laboratórios do curso de Farmácia saem 35 litros de álcool gel por dia. Eficaz para a higienização e prevenção do coronavírus para colaboradores da PUCPR, eles também serão doados para os Hospitais Cajuru e Marcelino Champagnat. Docentes e acadêmicos do curso de Enfermagem também estão trabalhando de forma voluntária na campanha de vacinação contra a gripe realizada pelo Ministério da Saúde, em Curitiba.

"Gostaria de louvar a participação dos professores e estudantes, demonstraram altruísmo, compreendendo que apesar dos desafios e adversidades da profissão, honram esta escolha. Está no DNA do enfermeiro o desejo de cuidar", comenta Ana Beatriz Rodrigues, coordenadora do curso de enfermagem da PUCPR.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.