Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Secretaria de Saúde de Rolândia informa que meninos de 12 a 13 anos já podem receber a vacina contra o vírus HPV pelo SUS em todos os postos de vacinação a partir de hoje, (10). Estudos feitos em outros países que já adotaram a vacinação de meninos mostram que a inclusão deles  contribuiu para a diminuição do câncer de colo do útero e vulva das mulheres, já que isso possibilita a diminuição da circulação do vírus na população, o que beneficia o público feminino. Além disso, os próprios meninos serão beneficiados, já que a vacina protege contra câncer de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais, problemas também relacionados ao vírus.Outra mudança é que, a partir deste ano, meninas que chegaram aos 14 anos sem a vacina também poderão se vacinar. A vacinação também será estendida a homens que vivem com HIV entre 9 e 26 anos.

Antes, só as mulheres com HIV desta faixa etária podiam se vacinar gratuitamente. No caso desse público, o esquema vacinal é de três doses. Também entra em vigor agora a inclusão da vacina contra MENINGITE C para meninos e meninas de 12 a 13 anos. Antes, essa imunização era oferecida apenas para crianças aos 3, 5 e 12 meses de idade. A meningite C é o subtipo mais frequente da doença, que é considerada grave e de rápida evolução. Aumentou também o público-alvo para a vacina de TRIPLICE VIRAL, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

O esquema é de duas doses para pessoas de um até 29 anos. A partir de 30 anos, o esquema é de apenas uma dose. As vacinas de HEPATITE A e VARICELA, que antes tinham como público-alvo crianças de 15 meses até dois anos passam a ser aplicadas em crianças de 15 meses a menores de quatro anos de idade que nunca receberam a vacina. A vacina de difteria, tétano e coqueluche (acelular) tipo adulto – dTpa, para Gestantes, o Ministério da Saúde passa a disponibilizar a vacina a partir da 20ª semana de gestação.

As mulheres que perderam a oportunidade de serem vacinadas durante a gestação, devem receber uma dose de dTpa no pós parto (puerpério) o mais precocemente possível.

NC/PMR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios