Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Governo do Estado ativou oficialmente o Centro de Operações em Emergências (COE) com o objetivo de definir as estratégias e procedimentos para o enfrentamento da situação epidemiológica relacionada ao novo coronavírus. O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, assinou nesta segunda-feira (03) a resolução ativando o centro.

“Estamos em alerta para a situação de emergência de saúde pública e de importância internacional e a finalidade da resolução é reduzir os potenciais impactos do evento, por meio de uma resposta coordenada, eficaz, eficiente e oportuna; seguimos assim orientação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde”, afirmou o secretário.

O COE reúne 16 áreas da Secretaria da Saúde e organiza, desde o dia 27 de janeiro, as ações e as informações sobre a situação de possíveis casos e notificações, no Estado, incluindo a avaliação de risco do evento, com base em critérios predefinidos pelo Ministério. O grupo é coordenado pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Paraná (CIEVS/PR).

O Ministério da Saúde descartou nesta segunda-feira o caso suspeito no Paraná, depois de investigação específica de amostra coletada. O caso já havia sido descartado clinicamente e nos primeiros exames feitos pelo Estado.

“Estamos em alerta no Paraná. Mas vale dizer que não temos nenhum caso do coronavírus. É preciso orientar a população sobre os cuidados. No entanto, não é motivo para pânico. O Estado está preparando para, se necessário, entrar em ação”, disse Beto Preto.

São considerados suspeitos e devem procurar as unidades de saúde pessoas com sintomatologia respiratória, incluindo febre, tosse e dificuldade para respirar, e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local (China) nos últimos 14 dias ou ter tido contato próximo com pessoas e casos suspeitos ou confirmados da doença.

PREVENÇÃO – O Centro alerta para as informações de prevenção que, neste momento são as mesmas indicadas para outras síndromes respiratórias, como a Influenza. As principais medidas são evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas; lavar frequentemente as mãos, especialmente após o contato direto com pessoas doentes e antes de se alimentar; usar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca ao espirrar e tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres pratos, copos ou garrafas.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios