Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Saúde 03/08/2017  08h57

Saúde divulga balanço semanal com os dados sobre a dengue

Números apontam que houve uma redução de 99% nos casos confirmados da doença, com relação ao mesmo período de 2016

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou, ontem (2), o relatório semanal com os dados sobre a dengue em Londrina. Do início do ano até o momento, foram registradas 2.212 notificações relacionadas à doença. Deste total, 30 casos foram confirmados e 2.034 descartados. Outros 148 estão em andamento, aguardando o resultado de exames laboratoriais.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, informou que houve uma redução de 99% nos casos confirmados com relação ao mesmo período do ano passado, quando foram confirmados 5.084 casos de dengue, de janeiro a julho. Machado atribui a redução dos casos a uma condição climática favorável e as ações de prevenção e conscientização feitas com a população, desenvolvidas pelo Município, além do trabalho de remoção mecânica de criadouros.

Machado destacou que os agentes de endemias e os agentes comunitários de saúde têm trabalhado todos os dias nas ações de prevenção com a comunidade londrinense. “Isso, somado ao forte envolvimento da sociedade civil, foi fundamental para redução nos casos”, frisou.

Contudo, segundo o secretário, apesar dos números serem favoráveis, é importante que a população não se descuide, para que não haja nenhuma possibilidade de uma epidemia da doença durante o verão, época mais crítica para a dengue. “Manter as ações de forma conjunta entre o poder público e a sociedade é fundamental para que não haja a proliferação do mosquito e consequentemente o aumento dos casos da doença”, destacou.

Isso porque os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver por até 450 dias em ambientes secos, podendo vir a eclodir no verão, devido a chuvas e temperaturas mais altas. A orientação é para que a população dedique pelo menos 10 minutos, a cada dois dias, para vistoriar os seus quintais e casas, recolhendo objetos que podem acumular água. Lembrando que além da dengue, o mosquito Aedes aegypti também pode transmitir a febre chikungunya, o zika vírus e a febre amarela.

Ações educativas – Nesta quinta-feira (3), às 9 horas, a coordenação de Controle de Endemias irá promover uma ação de conscientização com os jovens que participam do Centro de Formação Cidadã da Região Oeste (CFC-Oeste), na Rua Genivaldo Dias Souza.

Haverá palestra e exposição com o larvário, que contém o ciclo evolutivo do Aedes, além de maquetes e materiais lúdicos, que simbolizam os possíveis criadouros do mosquito. O objetivo é conscientizar os adolescentes para que eles ajudem no combate. O jovens participarão ainda de uma passeata pelo bairro, no dia 9 de agosto.

Na sexta-feira (4), a partir das 8h30, os alunos da Escola Municipal Ruth Lemos, que fica na Rua Francisco de Assis Fernandes Ruiz, 533, na região norte, receberão a visita dos agentes de endemias. Os profissionais repassarão informações sobre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

Todos os alunos de 6 a 12 anos receberão as informações dos agentes de endemias. Para isso, eles foram divididos em três grupos, sendo o primeiro no dia 4, o segundo no dia 7 e o terceiro no dia 14 de agosto. Após a finalização do trabalho educativo, as crianças participação de uma ação prática, com os agentes de endemias, no dia 14 de agosto.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios