Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulga nesta quinta-feira (1º) o resultado do 1º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2018. As informações serão fornecidas publicamente durante a primeira reunião deste ano do Comitê Gestor Ampliado Contra a Dengue em Londrina. O encontro é aberto à comunidade e irá ocorrer, a partir das 9 horas, no auditório da Associação Médica de Londrina, localizada na Avenida Harry Prochet, 1.055.

Durante a reunião, o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, e sua equipe técnica, também irão trazer mais dados e detalhes referentes à situação atual da dengue em Londrina, destacando algumas das novas ações a serem desenvolvidas no combate à doença. Além da dengue, o Aedes aegypti é um vetor que pode transmitir outras doenças como zika vírus, chykungunya e febre amarela.

Segundo Machado, o principal desafio do Município, neste início de 2018, é tentar manter baixo o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti e evitar os riscos de epidemia de dengue na cidade. “Todos nós sabemos que o mês de janeiro, e o período de verão, são uma época mais crítica para a dengue, quando são altas as temperaturas e o volume das chuvas, favorecendo a proliferação do mosquito e a existência de mais casos da doença. O objetivo é, logo após o resultado do 1º LIRAa, que detecta onde estão os maiores índices de proliferação do mosquito, intensificar as ações nas localidades mais afetadas e realizar um trabalho amplo de conscientização e combate”, frisou.

O secretário também salientou que a participação da sociedade civil e da comunidade, de forma integrada com a Prefeitura, tem grande valor no processo de prevenção e aplicação de medidas efetivas contra a dengue e outras doenças. “A mobilização popular, envolvendo todos os segmentos da sociedade, é um fator importante e que deve sempre ocorrer para que seja possível fortalecer as ações educativas e de campo contra a dengue. Nesta primeira reunião do ano, vamos debater e divulgar algumas estratégias a serem realizadas e estaremos abertos, como sempre, para as sugestões e contribuições vindas da comunidade”, reforçou.

Estão convidados para participar da reunião representantes de entidades de diversos segmentos, instituições de ensino, igrejas e grupos de apoio, secretarias, conselhos e órgãos municipais, Ministério Público, além de sindicatos e lideranças comunitárias.

Sobre o LIRAa – No primeiro levantamento de 2018, cerca de 200 agentes municipais de endemias e do Ministério da Saúde atuaram nos trabalhos, que foram desenvolvidos em meados de janeiro, em aproximadamente nove mil imóveis residenciais e comerciais, além de construções e terrenos baldios, totalizando 195 localidades da zona urbana.

O Ministério da Saúde classifica que municípios com índice de infestação predial inferior a 1% estão em condições satisfatórias; de 1% a 3,9% é considerado situação de alerta, e superior a 4% há risco de surto de dengue.

No último LIRAa de 2017, cujo resultado foi divulgado no final de novembro, o índice geral verificado foi 4,3%, caracterizando situação de risco epidemiológico. Isso significa que, a cada 100 casas vistoriadas pelos agentes, mais de quatro estavam com focos positivos do mosquito.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios