Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A vacinação contra a gripe foi prorrogada pelo Ministério da Saúde até sexta-feira (22); durante o Dia D da vacinação, mais de 1.300 pessoas foram imunizadas

A Secretaria Municipal de Saúde informou, ontem (18), que a campanha de vacinação contra os três vírus mais comuns de gripe Influenza terá continuidade durante esta semana. Ela foi prorrogada até sexta-feira, dia 22 de junho, em todas as Unidades Básicas de Saúde da zona rural e região urbana de Londrina.

Durante o último sábado (16), das 9h às 15h, o secretário de Saúde, Felippe Machado, percorreu as UBS que estavam disponibilizando a vacinação durante o “Dia D”, mas segundo ele a procura foi baixa, visto que foi possível vacinar 1.381 pessoas e aplicar 720 doses através da multivacinação, realizada em conjunto, para a atualização das carteirinhas das crianças.

“Durante essa semana, continuaremos a fazer a vacinação contra a gripe, principalmente aos grupos alvo, considerando a baixa cobertura das vacinas em nível nacional e o fato de o Estado do Paraná, de forma pactuada e bipartite, seguir a prorrogação até o dia 22. Então até esse dia todas as unidades terão a vacina”, disse Machado.

O secretário de saúde também informou que espera chegar mais próximo possível à meta dos 90% do público-alvo vacinado, principalmente no que se refere às gestantes, puérperas e crianças abaixo de 5 anos de idade. Além delas, podem tomar a vacina os idosos, profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores da rede pública e privada.

Os doentes crônicos, como diabéticos, hipertensos, transplantados, pacientes em tratamento contra câncer, HIV positivo, entre outros, precisam de uma solicitação médica para receber a vacina. As puérperas devem apresentar a certidão de nascimento da criança ou Declaração de Nascido Vivo, para que os profissionais das unidades de saúde possam verificar se a data do parto está dentro do prazo de 45 dias, que envolve o estado puerperal da mulher. Já os profissionais de saúde e professores devem comprovar o vínculo empregatício. A vacina tríplice contra a gripe não apresenta efeitos colaterais, e sua restrição é unicamente para pessoas com alergia severa à proteína do ovo.

A classificação dos grupos prioritários segue o preconizado pelo Ministério da Saúde (MS) de acordo com critérios técnico-científicos, elencando aqueles com maior vulnerabilidade para o contágio da doença e mais suscetível ao vírus da influenza. Até o último balanço realizado pela Secretaria de Saúde, o grupo que mais procurou a vacinação foi das pessoas acima de 60 anos, visto que 92,69% deles se vacinaram.

Em seguida, 89,64% dos professores aderiram a campanha; 90,83% dos trabalhadores em saúde foram vacinados; 61% indivíduos com comorbidades receberam a imunização; e apenas 55,16% das gestantes procuraram as unidades de saúde para tomarem as doses da vacina; 52,38% das crianças de 6 meses a 4 anos de idade foram vacinadas e 45,83% das puérperas também estão imunizadas.

A meta de Londrina era vacinar 161 mil pessoas, mas segundo os dados divulgados na última quarta-feira (13), apenas pouco mais de 120 mil cidadãos se protegeram, o que equivale a 80,79% do público-alvo da campanha.

A gripe, nos casos mais graves, pode ocasionar a morte. No Município, do início do ano até o momento, registrou-se o óbito de um senhor de 55 anos devido à gripe. A vacina, que é distribuída gratuitamente, pode prevenir contra os vírus da gripe, o H1N1, H3N2 e o influenza do tipo B Yamagata.

Ana Paula Hedler/NC/PML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL