Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O combate ao Aedes aegypti continua em todas as regiões da cidade, com vistorias, mutirões, aplicação do fumacê e outras estratégias

Na quinta-feira (6), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou novo balanço epidemiológico sobre a situação da dengue em Londrina. De acordo com o relatório, foram registradas 10.823 notificações relacionadas à doença, totalizando 2.620 casos confirmados até o momento. Outros 3.289 foram descartados, após análises laboratoriais, e 3.546 estão sendo investigados.

No levantamento desta semana, foi confirmado um novo óbito decorrente de dengue no município. A paciente, uma mulher de 79 anos de idade, residia na região leste. Com este falecimento, Londrina chega a seis óbitos por conta da doença.

Para continuar combatendo a proliferação do mosquito Aedes aegypti em Londrina, as equipes de Endemias da SMS prosseguem atuando com o trabalho de vistorias em imóveis, abrangendo todas as áreas da cidade, com orientações e eliminação de criadouros e vetores. A ação prioriza aqueles bairros onde são verificados os maiores índices de incidência de casos. As visitas estão ocorrendo diariamente, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30. E aos sábados, das 7h30 às 14h.

Além das vistorias de rotina, outras ações são as intervenções e limpezas em casas sob poder de imobiliárias ou de proprietários particulares. Ainda há o serviço de bloqueio de “circulação viral” em casas com moradores que possuem suspeita de dengue, confirmada por unidades de saúde. Nesses locais, as equipes fazem uma verificação para buscar se existem outras pessoas sintomáticas, além de aplicar inseticida e eliminar possíveis pontos de criadouros e vetores do Aedes.

Em alguns pontos, também é aplicada, semanalmente, a estratégia da instalação de armadilhas para controle do vetor, com a eliminação de ovos e criadouros. E, quinzenalmente, a SMS ainda visita locais que são pontos estratégicos para promover a limpeza. Os trabalhos atendem espaços como barracões de reciclagem e imóveis de ferro-velho, entre outras áreas de grande porte.

Outro trabalho importante para conter o avanço da dengue é a aplicação do fumacê, que promove a dispersão de inseticida para eliminar o Aedes em todas as regiões. A ação é desenvolvida com os veículos percorrendo os locais com alta nas notificações de dengue e onde há maior índice de focos do mosquito. No momento, Londrina caminha para fechar o atendimento às 109 localidades previstas para receber o fumacê, iniciado no dia 23 de março. No momento, a Prefeitura de Londrina busca viabilizar, junto à Secretaria de Saúde do Estado (SESA), novas etapas do fumacê, com previsão de atendimento a 800 quarteirões na cidade.

Este serviço é realizado de segunda a sábado, das 4h30 às 10h e das 16h às 21h, e nos domingos apenas pela manhã. Cada localidade recebe até cinco ciclos de aplicação, com intervalo médio de três dias, com a utilização de equipamentos de UBV (ultrabaixo volume).

Mais ações

Neste sábado (8), das 8h às 11h, equipes da SMS atuarão em parceria com o Tiro de Guerra (TG) de Londrina para uma ação de visitas a imóveis na abrangência da Vila Siam, região leste da cidade.

A Prefeitura de Londrina ainda vem realizando, regularmente, o Mutirão Bota Fora Contra a Dengue para eliminar possíveis criadouros do mosquito da dengue e remover resíduos e lixos em domicílios e pontos de descarte irregular. A ação é feita pela Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), com participação da Secretaria Municipal de Saúde, responsável pelo acompanhamento dos dados epidemiológicos e controle da doença.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.