Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Considerado público alvo, pelo Ministério da Saúde, a população indígena foi contemplada com 1.071 doses de vacina da Coronavac, que foram entregues na última 4ª e 5ª feira. E até o dia 22 de janeiro, já haviam sido vacinados cerca de 870 índios.

A receptividade dos indígenas Kaingangues, foi de muita comoção e alegria. Grupos guerreiros de dança fizeram um linda e calorosa acolhida para a chegada da prefeita, da vereadora Angélica, da secretária de Saúde Viviane Granado e toda equipe, principalmente da saúde.

As primeiras danças, foram coordenadas por Cláudio Novej Marcolino Galdino, líder do grupo guerreiro de dança KAKRÊKIN, pedindo benção, proteção e pela cura. A segunda foi a dança do tamanduá, onde crianças também fizeram parte da animada apresentação. Já a terceira dança foi liderada pelo indígena Tiago Almeida, que comanda o grupo guerreiro de dança NÊNGA, que expôs a dança de guerra da raiz.

O Cacique da Aldeia da Reserva Indígena Apucaraninha, Natalino Jagu Marcolino, agradeceu a todos por levarem a vacina a reserva. "Somos um povo esquecido, mas vocês não esqueceram de nós. Precisamos um do outro. Hoje estou muito alegre por nossa comunidade ser vacinada." Ressaltou.

Na sequência, as vacinadoras da SESAI (Secretaria Especial de Saúde Indígena), Adriana Mita, Maria Margareth Moura, ambas técnicas de enfermagem, deram início as aplicações das doses aos índios: Evandro Eg Galdino (agente de saúde indígena), Natalino Jagu Marcolino e João Maria Rodrigues Tapixi, ao que seguiu com a vacinação para toda a comunidade acima de 18 anos. 

A reserva Indígena Água Branca, que possui 327 índios aptos a receberem a vacinação, também recepcionou a todos com uma linda apresentação do grupo guerreiro UÊNGA, liderado por Zacarias, pedindo benção e paz.

Para o Cacique da Água Branca, o agradecimento maior foi para Deus. "Foi por Deus que esse remédio chegou aqui, até nós. Foi uma luz no fim do túnel. Deus que instruiu os profissionais que fizeram essa vacina, onde todos podem tomar, não só aqui, mas no mundo todo. Ninguém conhece a origem de tudo, só Deus. Estou muito feliz também por todos vocês estarem aqui hoje vacinando nós indígenas". 

Após as vacinadoras da SESAI, juntamente com a Técnica enfermagem Luzinete Alves de Oliveira,  iniciaram as vacinações pela indígena mais velha da Água Branca, Benedita Pereira, com mais de 80 anos. Após, foi a vez de Orides Lourenço, que é pai do Cacique. logo, Moisés Lourenço, o próprio cacique,  foi vacinado e na sequencia os demais índios.

A Prefeita, Luzia Harue Suzukawa, evidenciou o quão singular é a população Kaingangue, sendo "escolhidos" como uma classe primordial para as primeiras doses da Coronavac. "Vocês são beneficiados com estas primeiras vacinas. É um dia de muita alegria. Porém, peço que façamos um minuto de silêncio, em memória a todos que perderam suas vidas para o Covid". Em seguida a prefeita, agradeceu a todos pelas danças apresentadas, que mesmo em meio a pandemia, os índios manifestaram sua rica cultura em agradecimento, pedindo bênçãos e paz. "É emocionante ver vocês se apresentando, uma cultura ímpar, rica que nos arrepia trazendo uma paz na alma. Estou muito feliz por este momento. Por trazer essa boa nova a toda a comunidade indígena. Mas, reforço o cuidado que vocês devem ter, essa doença não é brincadeira. Peço de coração: aceitem essa vacina. Ela veio para curar, vocês estão sendo cuidados, valorizados pelo Estado. Toda a população anseia pela vacina, nem todos terão agora de imediato, por isso, valorizem a vida de vocês, de suas famílias e imunizem-se. Sejam gratos por essa oportunidade. Sintam-se abençoados e cuidem-se! Pois, temos uma saúde sem fronteiras, sem diferenças. Temos o maior respeito e zelo para com todos vocês, tanto a Saúde Estadual, quanto a Municipal. Queremos uma saúde para todos, sem distinção. Estamos lutando para isso". destacou Luzia.

Viviane Granado, secretária Municipal de Saúde, parabeniza a todos pela receptividade, pelas apresentações."Realmente todas as danças, sem exceção, trouxeram uma paz interior, um ar de esperança para todos. Parabenizo aos inventores da vacina. Deus sempre está acima, cuidando de todos nós. Se a vacina está aqui pronta para ser tomada, ela foi estudada, aprovada. Hoje, vocês indígenas, são privilegiadas. Aceitem a vacinação. Sigam as orientações da Saúde com todos os cuidados para combatermos esse vírus. Dentre mais alguns dias, vocês receberão a segunda dose, e só após isso é que o organismo adquire defesa. Por isso, os cuidados são essenciais. Comemorem, pois a vacina chegou com a graça de Deus", destacou.      

Para a profissional de Saúde da SESAI, esse momento para todos os indígenas, de todas as aldeias, é um momento de muita emoção. Espera que todos os índios recebam a vacina de bom grado, pois, traz segurança, fortalece a imunidade de todos. Se desculpa por todas as vezes, que teve que ser rude com as comunidades, não os deixando se locomover entre as aldeias, já que era uma prática comum. "Foi pela segurança de vocês, pelo zelo, foi por amor. Amo e quero muito bem todos vocês". Finalizou.

Josemara Lisboa/NCPMT

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.