Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Universidade Estadual do Norte do Paraná, em parceria com as Regionais de Saúde de Cornélio Procópio e Jacarezinho, Secretarias Municipais de Saúde da região, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e apoio da Fiocruz/Bio-Manguinhos/ Ministério da Saúde, divulgou o resultado da pesquisa realizada sobre a COVID-19 na região Norte Pioneira. O objetivo da pesquisa era identificar o percentual da população adulta da região que apresenta anticorpos contra COVID-19 e conhecer a adesão dos participantes sobre as medidas de prevenção.

A pesquisa foi realizada em 14 municípios (Andirá, Bandeirantes, Barra do Jacaré, Cambará, Carlópolis, Cornélio Procópio, Leópolis, Quatiguá, Ribeirão do Pinhal, Santa Mariana, Santana do Itararé, Santo Antônio da Platina, Sertaneja e Siqueira Campos) dos 43 que compõem a região. Inscreveram-se no estudo 1356 voluntários adultos, que trabalharam no período da pandemia, dos quais, 609 foram selecionados aleatoriamente. Destes, 527 compareceram e realizaram o teste, 80 faltaram e 2 compareceram, mas optaram por não realizar o teste.

A média de idade dos participantes foi de 36,9 anos (desvio padrão de 9,5 anos), 60,4% da amostra foi composta por mulheres e 39,6 % por homens. Se declararam brancos 66,6% dos participantes; 18,2% pardos; 6,3% negros; 0,2% indígenas; 0,8 % outros e 8% não informou. Em relação ao local de residência dos voluntários, 87,1% residem na zona urbana, 5,3% na área rural e 7,6% não informaram. A média de pessoas que residem no mesmo domicílio foi de 3 pessoas – incluindo o participante. Quanto ao impacto da pandemia no trabalho e renda, 27,3% dos participantes relataram redução da jornada semanal de trabalho e 17,6% redução no salário mensal.

A pesquisa apresentou que a proporção calculada de pessoas adultas com anticorpos contra a Covid-19, na região, no período de 11 de junho a 11 de agosto de 2020, foi de 8,5% (IC (95%): 7,3 - 9,8). Com base nesses valores da amostra, a projeção para população é de que 25.064 pessoas adultas (18 a 59 anos) da região norte pioneira do Paraná apresentavam anticorpos contra a COVID-19, com intervalo de confiança de 95% que essa estimativa possa estar entre 21.525 a 28.897 pessoas.

Segundo a pesquisa, comparando a estimativa de pessoas adultas da região com provável exposição ao vírus e o número de casos confirmados para Covid-19 no boletim da SESA-PR no dia 11 de agosto, estima-se que o real número de pessoas expostas ao vírus na região seja aproximadamente 8 vezes maior do que o número indicado no boletim epidemiológico, podendo oscilar entre 7 a 10 vezes. Vale lembrar que a projeção da pesquisa é para população na faixa etária de 18 a 60 anos e o boletim epidemiológico informa o número total de casos confirmados compreendendo toda a faixa etária. Por esse motivo, infere-se que essa diferença possa ser maior.

Os dados foram coletados de 11 de junho a 11 de agosto. A presença do anticorpo IgM e IgG contra SARS-COv-2, foi verificada a partir de amostra biológica (sangue) por punção da polpa digital do participante e analisado pelo kit de teste rápido TR DPP® Covid-19 IgM/IgG Bio-Manguinhos (Registro na ANVISA nº 80142170039). Todos os participantes que apresentaram resultados do teste rápido reagentes para detecção de anticorpos, foram encaminhados para o serviço de referência do município, assegurando a continuidade do cuidado em saúde.

Medidas de Prevenção

Além de identificar o percentual da população adulta da região que apresenta anticorpos contra Covid-19, a pesquisa também tinha o objetivo de conhecer a adesão dos participantes sobre as medidas de prevenção. A pesquisa mostrou que o uso da máscara foi a medida de precaução adotada por quase todos participantes (96%) – o uso de máscara pela comunidade foi recomendado pelo Ministério da Saúde, e tornou-se obrigatório no estado do Paraná, (Decreto Estadual nº. 4692 de 25/05/2020), visto que o uso de máscara reduz a carga viral disseminada e recebida. As medidas para prevenção e controle, dispostas no Plano de Contingência do Estado do Paraná, como a higienização das mãos com álcool em gel (97%) e água e sabão (90%) e o distanciamento social (69%), também são medidas adotadas pela maioria dos participantes.

O Núcleo de Estudos e Enfrentamento da Covid-19 (NEECOVID/UENP) agradece aos voluntários que participaram da pesquisa e os profissionais que colaboraram para a realização do estudo. Os pesquisadores recomendam atenção às principais medidas para evitar a propagação do vírus (como o uso de máscara, distanciamento físico entre as pessoas e lavagem e higienização das mãos), pois a pandemia não chegou ao fim.

Para conferir o relatório completo da pesquisa, acesse https://uenp.edu.br/images/eventos/2020/covid19/relatorio_pesquisa_covid_uenp.pdf

Tiago Angelo/UENP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.