Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governo do Uruguai anunciou na última sexta-feira a criação de seu próprio teste de detecção de Coronavírus. A novidade foi contada em uma conferência entre o Ministro da Saúde Pública, Daniel Salinas, o reitor da Universidade da República (UdelaR), Rodrigo Arim e Carlos Battyány, diretor executivo do Instituto Pasteur do vizinho. Essa conquista assegura o abastecimento no país de seu próprio teste e lhe proporciona independência sanitária quanto a esse item.

Os novos kits de diagnóstico de COVID-19 fabricados pelo Uruguai, que contribuirão para a segurança sanitária do país, estarão prontos dentro de um mês e permitirá alcançar cerca de 20.000 diagnósticos.

O diagnóstico não terá nenhum custo para os usuários. Conforme explicado pelo Ministro Salinas, as próprias instituições assumirão o investimento. De qualquer forma, parte do sucesso da invenção da Universidade da República e do Instituto Pasteur é uma técnica econômica, eficaz e com resultados rápidos (PCR em tempo real).

O objetivo não é substituir os outros kits de diagnóstico, mas limitar a dependência internacional deles. "Este kit não pretende competir com o setor privado, mas será direcionado aos setores mais carentes. Esse desenvolvimento marca um antes e um depois", disse Salinas.

O Ministro também enfatizou que "isso permitirá que muitas pessoas ligadas à saúde, ao corpo de bombeiros, à polícia e ao Ministério da Defesa que tenham um exame negativo possam se integrar rapidamente a seus empregos e se diagnosticado positivo manter as medidas de isolamento correspondentes.”

Battyány, por sua vez, comentou: "Hoje,  todos os países precisam de kits de diagnóstico para controlar essa epidemia. O que nossos jovens pesquisadores representam é a adaptação do protocolo da Universidade de Hong Kong, que foi o primeiro protocolo validado do Organização Mundial da Saúde (OMS) para realizar o diagnóstico, adaptado às nossas condições nacionais e, assim, limitar a dependência internacional.”

Batthyány esclareceu que o Uruguai possui cinco robôs em instituições públicas e privadas, um no Hospital de Clínicas, cujo uso será relevante para acelerar o diagnóstico do material genético coletado nos kits. “Também estamos trabalhando com Udelar e com recursos do Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul (Focem) em um novo kit de diagnóstico que avalia a resposta imune dos pacientes, com o objetivo de confirmar a alta médica

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.