Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Vigilância Sanitária de Londrina sofreu uma derrota na justiça. Em abril, a VISA notificou a Rede Vale Verde com um auto de infração por oferecer o teste rápido sorológico para o novo coronavírus Hilab. Na ocasião, a Vale Verde entrou com um Mandado de Segurança, e esta semana o mérito foi julgado e deferido, com decisão favorável a Rede de Farmácias. O Juiz de 1º Grau determinou a extinção do processo n° 56/2020 e ainda foi solicitada uma retratação por parte da Vigilância Sanitária de Londrina.

Segundo a diretora da Rede, Ana Carolina Augusto, a autuação impactou o trabalho, “uma vez que poderíamos ter realizado um número muito maior de testes logo nos primeiros meses da pandemia quando a cidade ainda não tinha acesso aos testes, garantindo mais segurança e tranquilidade para toda a população.”

Ela conta que outras cidades do país já estavam realizando os mesmos testes da Hilab e somente em Londrina não foi possível a realização. “Além disso a interdição dos nossos containers colocou em dúvida a idoneidade da Vale Verde na região, pois foi noticiado que estávamos irregulares.”

A Vale Verde é referência em serviços clínicos farmacêuticos junto à  Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), com testes laboratoriais remotos em todas as lojas, clínica farmacêutica para serviços avançados em 16 lojas e formação continuada para farmacêuticos na prestação de serviços e cuidado ao paciente.

O fim da ação foi bem recebido pelos gestores da Rede Vale Verde:

 “A decisão favorável e a extinção do processo encerram qualquer dúvida sobre a credibilidade da Rede Vale Verde, empresa que completa 46 anos de atividade na região de Londrina, sempre priorizando o cuidado com as pessoas”, finaliza Ana Carolina.

Emilia Miyazaki/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios