Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Polícia Militar e a comunidade escolar comemoram nesta sexta-feira (17) o 9º aniversário do Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária (BPEC), unidade especializada na prevenção da violência no âmbito estudantil com crianças e adolescentes através de ações ostensivas e educacionais em todo o estado. 

Na solenidade, foram entregues medalhas Policial Militar de Ouro, Prata e Bronze, a medalha BPEC, a medalha Proerd e a moeda comemorativa do batalhão aos militares estaduais e autoridades civis que têm apoiado a PM na prevenção à violência no meio escolar. 

“É um segmento da PM que trabalha a excelência da prevenção nas atividades da patrulha escolar comunitária e também pela coordenação do nosso principal programa de política pública que é o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd)”, disse o comandante-geral da PM, coronel Maurício Tortato. 

Segundo ele, o batalhão é importante para a comunidade escolar e se faz presente no ambiente estudantil graças à atuação séria e responsável de seus integrantes. “Parabenizamos o BPEC por nove anos de trabalho intenso e cremos que terá um futuro promissor pela frente”. 

A cerimônia foi marcada pelo reconhecimento a contribuição de policiais militares e pessoas do meio escolar que tem atuado junto à Polícia Militar nas atividades de prevenção à criminalidade por meio de um plano educacional que demonstre aos jovens a importância dos valores da cidadania e de responsabilidade para o futuro intelectual desse público. 

O empenho e dedicação demonstrados pelos policiais militares na manutenção dos pilares do policiamento comunitário (escola, família e polícia) foram coroados com a entrega das medalhas BPEC e Proerd. “Foi nesse batalhão que me encontrei na profissão, trabalhando com satisfação e realização, colaborando para uma vida melhor às crianças para que fiquem longe das drogas e da violência”, disse a soldado Elisângela Aparecida Buss. 

Dezenas de policiais militares que fazem trabalhos educativos em colégios estaduais estiverem presentes na solenidade e foram reconhecidos pela atividade que desempenham, como o cabo Eduardo Wilkosz, que atua junto a uma equipe do BPEC na Guarda Mirim do Paraná. “Estou há três anos no batalhão e percebemos que a PM é um dos pilares de sustentação do colégio, pois trabalhamos a cidadania com crianças e adolescentes que vivem em vulnerabilidade social e situação de risco, proporcionando um olhar de esperança e motivação aos estudantes que mais necessitam”, afirmou. 

A secretaria estadual da Educação, professora Ana Seres, convidada a participar do ato solene, enalteceu a integração do BPEC junto à pasta na promoção de mais segurança ao público estudantil. “Quando se conhece o trabalho da Patrulha Escolar, reconhecemos não só a necessidade, mas a eficiência com que é aplicado o policiamento preventivo e repressivo nos momentos mais conflitantes que enfrentamos nos últimos tempos”, disse. Também foram condecorados os militares que completaram 10, 20 e 30 anos de serviços prestados à corporação com a medalha Policial Militar de Bronze, Prata e Ouro. “São três décadas de serviços prestados e a maior conquista não é receber uma medalha, mas saber que você fez o melhor, mesmo com as limitações e dificuldades seu coração foi doado e eu me sinto recompensado”, destacou o subtenente Nelson Hercilio Mansani, que atuou no BPEC e hoje faz parte do Batalhão de Polícia Ambiental. 

O comandante do BPEC, tenente-coronel Ronaldo de Abreu, falou sobre a formação do batalhão, as dificuldades enfrentadas dentro e fora da corporação ao longo da jornada de nove anos, louvando os policiais que fizeram parte dessa história. 

Foi mencionado o ex-comandante-geral da PM, coronel Anselmo José de Oliveira, idealizador da modalidade de policiamento escolar e que permanece eternizado no nome oficial do BPEC: Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária Coronel Anselmo José de Oliveira. 

“Desde o início o pensamento em se ter uma unidade especializada de patrulha escolar comunitária teve como foco a prevenção de segurança pública no ambiente escolar. São 2,6 milhões de alunos e professores distribuídos em escolas publicas e privadas em todo o Paraná e só esse número justificaria a necessidade desse tipo de policiamento. Cerca de 95% à 97% das nossas ações são preventivas, o que mostra um perfil voltado à educação”, explicou o tenente-coronel Abreu. 

HISTÓRIA - A criação do Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária se confunde com a trajetória bem sucedida do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), o qual foi aplicado no Paraná em 2000 através de uma parceria da Polícia Militar com a Secretaria de Educação, voltado para o ensino fundamental público e privado. 

O Batalhão atualmente trabalha com dois programas: Patrulha Escolar Comunitária (PEC) e o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd). Em todo o estado, a unidade possui quatro companhias: 1ª Companhia, em Curitiba; 2ª em Foz do Iguaçu (Oeste), 3ª em Maringá (Noroeste) e 4ª Companhia em Londrina (Norte). 

O Proerd começou com um programa de parceria entre o Departamento de Polícia de Los Angeles e o Distrito Escolar da cidade, recebendo o nome de Drug Abuse Resistence Education (DARE) e já foi aplicado em mais de 50 países. 

O programa visa educar os cidadãos, ainda crianças, para que, no futuro, possam evitar problemas com álcool, drogas e violência. Durante as aulas, os alunos têm a oportunidade de participar de atividades interativas com a participação de grupos em aprendizado cooperativo, que foram projetadas para estimulá-los a resolverem os principais problemas desta fase de suas vidas. 

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios