Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Entre 11 e 12 de novembro, o “Via Futuro” funcionará como um preparatório para Conferência da ONU que prevê redução de 50% das mortes no trânsito em 10 anos

Os acidentes relacionados ao trânsito já são a principal causa de mortes de crianças e adolescentes de até 14 anos no Brasil. O problema, no entanto, tem alcance global. No mundo todo, eventos desse tipo são responsáveis pela maior parte das mortes de jovens na faixa dos 15 aos 20 anos de idade. Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), diariamente, cerca de 3 mil pessoas morrem em ruas e estradas de diferentes países; e, se nada for feito, no ano de 2020 o trânsito vai matar 1,9 milhão de indivíduos e deixar outros 50 milhões com alguma sequela.

Com base nesses dados, e seguindo resolução emitida pela ONU na qual o período de 2011 a 2020 ficou definido como a “Década de ações para a segurança no trânsito”, a Companhia Paulista de Desenvolvimento e a Sem Parar Comunicações, realizam o Fórum Via Futuro – Segurança no Trânsito, com apoio institucional do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito)e do Ministério das Cidades.

O encontro, que acontece em São Paulo nos dias 11 e 12 de novembro, além de debater a segurança no trânsito em território brasileiro, servirá de referência para a Conferência da ONU, em Brasília, quando serão avaliados os avanços do tratado assinado pelo Brasil em Moscou, em 2010.

Técnicos e especialistas de diferentes áreas da sociedade civil – empresas, instituições, universidades e o setor público nacional– vão discutir os avanços no desenvolvimento de novas tecnologias, o treinamento e a formação de condutores, a engenharia de tráfego e, sobretudo, a mobilidade e a segurança de pedestres, ciclistas, condutores e passageiros.

“Além de representar uma deficiência estrutural das grandes cidades, a questão do trânsito é um problema de saúde pública. Por isso, o poder público precisa atuar nesse tema com extrema responsabilidade. Precisamos discutir sobre os avanços urbanísticos que desejamos, assim como formas de mudar a cultura da sociedade em relação aos pedestres, ciclistas, motoristas e passageiros. Somos todos cidadãos. Este deve ser o princípio a ser adotado: o pedestre, o ciclista, o motorista e o passageiro-cidadão”, salienta o ministro das Cidades, Gilberto Kassab. 

Ações desenvolvidas no Brasil 

Entre as medidas adotadas no Brasil visando a redução de mortes durante este período que preconiza a “Década de ações para a segurança no trânsito”, destaca-se o “Pacto Nacional pela Redução de Acidentes – Um Pacto pela Vida”, que faz parte do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência no Trânsito.

A Lei Seca, com intolerância total ao álcool na direção e penalidades mais severas aos infratores, é um dos destaques de alterações feitas no Código de Trânsito Brasileiro. A norma é considerada uma das mais rígidas do mundo.

Outros exemplos a serem discutidos durante o fórum:

• Uso de capacetes para motociclistas e passageiros e coletes de segurança para profissionais;

• Capacitação: utilização de simulador na capacitação de motoristas. Entre 2010 e 2014 foram capacitados mais de 115 mil motoristas profissionais em todo o país.

Painéis de debates / Programação

O Fórum Via Futuro terá sete painéis para debater questões relacionadas à segurança no trânsito. Os dois primeiros vão apresentar temas como evolução tecnológica e outros procedimentos vinculados aos veículos e equipamentos. O terceiro painel, que encerra o primeiro dia de atividades do Fórum, vai tratar da formação dos condutores.

Na quarta fase do programa (segundo dia do fórum) entram em discussão a engenharia de tráfego e a sinalização na segurança viária. O quinto painel discute modelos como campanhas educativas, fiscalização e a legislação de trânsito. A mobilidade e a segurança dos ciclistas serão discutidas no sexto painel e, por fim, na sétima e última etapa, as tecnologias para identificação, fiscalização e segurança veicular.

Os palestrantes convidados são técnicos e especialistas em trânsito, engenheiros da indústria automotiva, representantes de instituições públicas, privadas, universidades, ligadas à questão da mobilidade urbana, segurança, legislação educação e saúde. A abertura do evento será feita pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab; o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

Asimp/Ministério das Cidades

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios