Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Londrina, no Norte-Central paranaense, deflagrou ontem (3) a quarta etapa da Operação Publicano, que investiga uma organização criminosa envolvida em crimes de corrupção e concussão atribuídos a auditores fiscais da Receita Estadual, com envolvimento de contadores e empresários.

A nova etapa está especificamente dirigida à apuração de fatos ocorridos entre 2008 e 2014 não apurados nas fases antecedentes. Dentre os comportamentos investigados, constam o recebimento de propina para liberação de créditos devidos e a não realização de fiscalização adequada, em que os fiscais deixavam de autuar ou emitiam autos simbólicos de pequeno valor contra empresas que pagavam propina, dando a elas “quitação fiscal”.

O Juízo da 3ª Vara Criminal de Londrina determinou a prisão de 47 pessoas, entre elas, 44 auditores fiscais (35 dos quais já envolvidos em situações das fases antecedentes). Também foram expedidos 52 mandados de condução coercitiva (inclusive de empresários residentes nos estados de São Paulo e Minas Gerais) e 49 mandados de busca e apreensão (em gabinetes da Receita Estadual, em residências e num escritório de advocacia). Foi decretada ainda a quebra de sigilo bancário de 19 pessoas ou empresas.

As fases 1 e 2 da Operação Publicano apuraram crimes contra a administração (especialmente corrupção passiva tributária e concussão) atribuídos à organização criminosa. A fase 3 apurou crimes de lavagem de ativos.

Confira a lista:
Particulares:
Julio Sergio de Morais Camargo, Luiz Lopes Barreto e Kouchi Yui.

Auditores fiscais:
Amadeu Serapião, Amado Batista Luiz, Ana Paula Pelizari Marques Lima, Antonio Carlos Lovato, Benedito Maciel de Goes, Claudio Tosatto, Clovis Agenor Rogge, Djalma Correa, Edilson Edimar Ferreira, Edison Negrão Oliveira, Edvaldo Bianchi, Edvilson Ramos Marques, Eurico Rosa de Almeida, Gilberto Della Coletta, Gilberto Favato, Helio Hisahi Obara, Iris Mendes da Silva, Jaime Kiochi Nakano, José Aparecido Valencio da Silva, José Carlos dos Santos, José Henrique Hoffmann, José Luiz Favoreto Pereira, José Luiz Fernandes Filho, José Pereira de Carvalho, Laércio Rossi, Lidio Franco Samways Junior, Londolfo Traldi, Luiz Fernandes de Paula, Marcelo Muller Melle, Marcio Albuquerque de Lima, Marco Antonio Bueno, Marcos Colombo, Marcos Luis Ferreira Arrabaça, Mario Aparecido Sanzovo, Milton Antonio de Oliveira Digiacomo, Nelson Mitsuo Suzuki, Orlando Antônio Botelho, Orlando Coelho Aranda, Oswaldo Ronqui Junior, Ranulfo Dagmar Mendes, Ricardo de Freitas, Ronivaldo Costa Zani  e Sérgio Paulo de Souza Quaresma.

* Seis pessoas ainda são consideradas foragidas.

Seguem abaixo matérias anteriores sobre a Operação Publicano (publicadas no site do MP-PR):

10/11/15 - OPERAÇÃO PUBLICANO III - Justiça determina bloqueio de bens de 16 réus ligados ao ramo calçadista por atos de corrupção

20/03/15 - Gaeco cumpre mandados de prisão contra fiscais da Receita Estadual de Londrina e empresários

14/04/15 - MP-PR denuncia 62 envolvidos em corrupção na Receita Estadual de Londrina

10/06/15 - Gaeco cumpre 68 mandados de prisão e 65 de busca e apreensão

30/06/15 - MP-PR denuncia 125 envolvidos em corrupção na Receita Estadual de Londrina

21/09/15 - Gaeco prende dois auditores fiscais da Receita Estadual

08/10/15 - Gaeco cumpre mandados de prisão, busca e apreensão, condução coercitiva e arresto de bens

20/10/15 - Justiça determina indisponibilidade de bens de 44 réus em ação que envolve fraudes milionárias  

Asimp/Ministério Público do Paraná
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios