Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Governo do Estado, por meio da secretaria estadual de Segurança Pública (Sesp), lançou edital para licitação da construção da Delegacia Cidadã em Londrina. A obra tem orçamento inicial de R$ 7,4 milhões e será custeada com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As propostas deverão ser entregues até às 9h30 do dia 13 de julho de 2021.

 “Trata-se de mais um pedido antigo da população londrinense que está sendo atendido só agora na competente gestão do governador Ratinho Junior. Você não identifica uma Delegacia Cidadã como delegacia. O projeto e a identidade visual são trabalhados para evitar esse estereótipo. É um prédio do Estado pensado para ter todas as características ideais para atendimento da população, principalmente, de quem sofreu algum tipo de violência”, explicou o deputado estadual Cobra Repórter (PSD), vice-líder do Governo.

O secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, destaca que as obras foram planejadas estrategicamente para o desenvolvimento e melhoria na segurança pública do Paraná e este é mais um projeto que está vinculado a este tipo de ação. “A Delegacia Cidadã é fruto de um esforço continuado do Governo do Estado em busca de espaços mais dignos, amplos, arejados e modernos para atendimento na segurança pública, com benefícios para os servidores e para a população”, disse ele.

A previsão de entrega é de no mínimo 12 a 15 meses, mas este tempo passará a valer depois da assinatura da ordem de serviço. O projeto terá área de 1.791,23 m², no Padrão III, localizada na Avenida Luigi Amorese, em Londrina, no valor estimado de R$ 7.487.694,67.

A delegacia Cidadã de Londrina terá também infraestrutura de atendimento com espaços mais humanizados para o público em geral e para as vítimas de crimes. O espaço comportará a 10ª Subdivisão Policial (SDP), que desde 2018 funciona em um prédio alugado no valor de R$ 33 mil reais mensais.

O projeto foi pensado para um novo fluxo de parlatórios, local em que a vítima identifica o agressor, por exemplo, e terá salas para advogados e para a Polícia Militar fazer documentos iniciais. Outro espaço exclusivo é do Instituto de Identificação, responsável pela emissão do RG, o que vai agilizar ainda mais a emissão de documentos dos moradores. Além disso, terá espaços separados para atendimento seletivo às vítimas e agressores, em ambientes isolados para crianças, adolescentes, mulheres e idosos.

Com informações da Agência Estadual de Notícias

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios