Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governador Beto Richa autorizou a convocação de 75 novos delegados, 413 investigadores e 48 papiloscopistas para realizar exames médicos, etapa que precede a nomeação dos policiais para as funções. A publicação do edital de convocação deverá ocorrer até a próxima sexta-feira (23/05). “Estamos reestruturando e reforçando as nossas polícias para dar respostas ainda mais rápidas para a sociedade”, afirmou Richa.

A contratação dos profissionais de Segurança Pública é uma das ações do programa Paraná Seguro. Além do aumento do efetivo das polícias Civil, Militar e Científica, o programa permitiu a compra de novas viaturas e investimento em ações de inteligência para o combate à criminalidade.

“Pela primeira vez, o Governo do Estado está dando condições para que todas as comarcas do Paraná tenham um delegado de polícia, fortalecendo o trabalho da Polícia Judiciária”, ressalta o secretário da Segurança Pública, Leon Grupenmacher.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Riad Braga Farhat, a nomeação amplia as condições de trabalho da instituição em todo o Estado. “Além disso, com mais profissionais conseguiremos estender os serviços da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)”, afirma. “Este é mais um compromisso sendo honrado pelo Governo do Estado”.

Investimento

Desde 2011, o Governo do Estado realiza o maior investimento em Segurança Pública da história do Paraná. Dados da Secretaria de Segurança Pública apontam que, há três anos, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiro contavam com aproximadamente 17 mil homens em todo o Estado. Hoje, o efetivo é de 21.200.

Nos últimos três anos, foram contratados 6 mil policiais para atuar no Estado, somando as convocações para a PM, Polícia Civil, Bombeiros e Polícia Científica. Outros 2.500 PMs e bombeiros estão na fase final de formação e devem reforçar o policiamento nas ruas nas próximas semanas.

Além de aumentar o efetivo, o governo melhorou a remuneração paga aos profissionais da Segurança Pública. No primeiro semestre de 2012, foi implantado o subsídio salarial, que colocou o Paraná como um dos estados brasileiros com a melhor remuneração das polícias Civil e Militar.

Todo esse investimento se reflete na diminuição dos índices de criminalidade. No ano passado, o Paraná registrou o menor número de assassinatos desde 2007, quando a atual série histórica começou a ser contabilizada. O número de homicídios dolosos foi 21% menor em 2013 com relação a 2010.
AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios