Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A pedido do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, o Juízo da 13ª Vara Criminal de Curitiba determinou, no início da noite de ontem, 14 de setembro, a conversão da prisão temporária em preventiva para 10 dos 15 presos na Operação Rádio Patrulha. Deflagrada na última terça-feira, 11 de setembro, a operação apura indícios de direcionamento de licitação para beneficiar empresários e pagamento de propina a agentes públicos, além de lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça, no programa Patrulha do Campo, do Governo do Estado do Paraná, no período 2012 a 2014.

Entre os que tiveram a prisão preventiva decretada estão o ex-governador do Paraná, seu irmão, ex-secretários de governo e empresários. Não foi pedida a conversão de prisão da esposa do ex-governador e ex-secretária estadual e de outras quatro pessoas. 

Os autos estão sob número: 0023147-68.2018.8.16.0013 (que não estão sob sigilo).

Asimp/MPPR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios