Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A unidade será dividida em três blocos, os quais são segmentados em galerias de celas, abrigando oito camas por cela. Além das alas para o alojamento dos presos, o local também possui espaços para aulas, pátio de visitas, ambientes para trabalho e também recintos especiais para o tratamento penal.

As obras da Cadeia Pública de Londrina, que vai atender a demanda da cidade e da região Norte do Paraná, atingiram a marca de 75% de conclusão. O investimento é de cerca de R$ 18 milhões e tem como objetivo ampliar as vagas do sistema prisional do Estado. A obra deve ser finalizada ainda em 2021.

De acordo com o secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, o investimento ajudará a otimizar o trabalho do Depen. “As novas cadeias são parte de um planejamento que vai deixar o sistema penitenciário paranaense mais equilibrado, do mesmo modo que gera empregos durante a construção e melhora a custódia dos presos na região do Norte Pioneiro”, disse.

A construção dará mais condições e realocação adequada dos presos, culminando no desafogamento do sistema carcerário. No total, com a conclusão desta Cadeia Pública, serão disponibilizadas 752 novas vagas que incluirão uma parcela dos apenados da cidade de Londrina e das imediações abrangidas por aquela Regional do Depen.

O diretor regional do Departamento Penitenciário de Londrina, Reginaldo Peixoto, ressaltou a importância da conclusão da obra para o Norte Pioneiro. “A cadeia atenderá cerca de 70 cidades e, com essa abertura de vagas no sistema prisional, uma parcela significativa de presos poderá ser realocada de forma adequada”, disse.

Em relação à estrutura, a Cadeia Pública de Londrina será dividida em três blocos, os quais são segmentados em galerias de celas, abrigando oito camas por cela. Além das alas para o alojamento dos presos, o local também possui espaços para aulas, pátio de visitas, ambientes para trabalho e também recintos especiais para o tratamento penal, que compreende atendimento psiquiátrico, psicológico e de enfermagem, entre outros.

“Com a conclusão da obra, além de amplificar a segurança da região, o sistema penitenciário do Paraná também progride com a ressocialização dos presos, ação prevista dentre suas finalidades primordiais”, afirmou o secretário.

Acompanhamento

Nesta semana, Marinho esteve presente nas obras para acompanhar seu andamento e verificar a aplicação dos investimentos do Governo do Estado e do governo federal na construção da Cadeia Pública. Estiveram presentes o coordenador do setor de Engenharia da Sesp, major Ivan Ricardo Fernandes; o diretor da Penitenciária Estadual de Londrina II (PEL II), Emerson Nobre Silveira; e o diretor da Casa de Custódia de Londrina, Michel Hildebrand.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios