Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A respeito de notícias veiculadas pela imprensa no município de Londrina na última semana, sobre possível agressão que teria sido cometida por uma adolescente de 14 anos ao seu filho (um bebê de quatro meses), o Ministério Público do Paraná, por meio da 27ª Promotoria de Justiça de Londrina, esclarece:

• A adolescente foi apreendida no dia 21 de julho, supostamente por agredir seu filho, tendo sido ouvida pela 27ª Promotoria de Justiça de Londrina em audiência realizada no dia 22 de julho, ocasião em que negou qualquer tipo de agressão física ao bebê. A apreensão ocorreu após a mãe da adolescente ter encontrado a criança chorando e com marcas no corpo e ter relatado às autoridades policiais que a filha teria agredido o neto.

• No entanto, ao também ser ouvida pelo Ministério Público do Paraná, a mãe da adolescente afirmou que possivelmente agiu de modo precipitado ao acusar sua filha antes de certificar-se de que as marcas na criança eram provenientes de agressão.

• No dia 27 de julho, o Instituto Médico Legal encaminhou à Promotoria de Justiça laudo pericial em que atestou que as marcas existentes na criança não eram sugestivas de agressão física e sim compatíveis com eventual mordida de inseto. Tal conclusão, na avaliação do Ministério Público do Paraná, confirma a versão da adolescente de que não houve agressão.

• A Promotoria de Justiça destaca a necessidade de que sejam evitadas abordagens que possam conduzir a julgamentos precipitados, principalmente quando estes colocam em risco a própria integridade física da pessoa investigada.

Ascom/MPPR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios