Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Presidente da Comissão de Educação, vereador Amauri Cardoso informou que edital para a compra dos equipamentos será lançado em outubro

A Prefeitura de Londrina pretende lançar em outubro edital de licitação para contratar um sistema de alarmes monitorados a serem instalados nas instituições municipais de ensino, com o objetivo de diminuir os casos de vandalismo e furtos nesses espaços. A informação foi divulgada na sessão ordinária da terça-feira (13) pelo vereador Amauri Cardoso (PSDB), presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Câmara. De acordo com o parlamentar, o acompanhamento dos alarmes será feito pela Guarda Municipal, que destinará quatro novas viaturas para atender às ocorrências.

As informações foram repassadas ao vereador durante reunião no Legislativo sobre “segurança patrimonial nas escolas”, realizada na última sexta-feira (9) pelas comissões de Educação; de Administração, Serviços Públicos e Fiscalização; e de Segurança Pública. O encontro contou com a presença do secretário municipal de Defesa Social, Pedro Ramos, e de Júnior de Jesus, diretor da Secretaria Municipal de Educação. Também participou o vereador José Roque Neto (PL), presidente da Comissão de Administração. “O Executivo está dando uma resposta até que enfim. Afinal, são mais de R$ 400 mil em prejuízos anualmente com vandalismo e furtos em prédios e espaços públicos. Neste ano, só na Educação, os prejuízos materiais alcançaram cerca de R$ 50 mil”, afirmou Cardoso a jornalistas.

Em entrevista à equipe de jornalismo da Câmara, o secretário municipal de Defesa Social, coronel Pedro Ramos, informou que a licitação contemplará todas as 127 instituições municipais de ensino, entre escolas e centros municipais de educação infantil. Em uma segunda etapa, serão incluídos no projeto outros prédios públicos, totalizando 287 espaços monitorados por alarmes. A estimativa é de um custo total de aproximadamente R$ 1,3 milhão. “Vamos começar pelos estabelecimentos de ensino porque há o recesso escolar, quando a escola fica dois ou três meses fechada e se torna mais vulnerável. Esperamos que o certame esteja concluído em novembro para monitorarmos as instituições durante as férias”, explicou. Segundo ele, as secretarias de Defesa Social e de Obras estão realizando um mapeamento das unidades escolares, que indicará quantos alarmes serão necessários e em que locais deverão ser instalados.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios