Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Soluções para os constantes furtos em instituições de ensino foram discutidas nesta sexta  com integrantes de três comissões permanentes da Câmara

Um sistema de alarme monitorado para as escolas municipais deve ser implantado no segundo semestre deste ano como forma de coibir os constantes arrombamentos e furtos nestas instituições. O assunto foi discutido na tarde desta sexta-feira, na Câmara Municipal de Londrina, pelos vereadores Amauri Cardoso (PSDB), Péricles Deliberador (PSC) e Jairo Tamura (PL), que integram as comissões de Administração, Serviços Públicos e Fiscalização; de Segurança Pública e de Educação, Cultura e Desporto, em reunião com a participação do secretário municipal de Defesa Social, tenente-coronel Pedro Ramos; do diretor administrativo-financeiro da Sercomtel Contact Center, Edilson Moreira; e do assistente técnico da Sercomtel Iluminação Paulo Martins de Souza.

A medida está prevista no Plano de Segurança de Instalações (PSI), elaborado pela Secretaria Municipal de Defesa Social e está orçada em R$ 1.278.000,00. De acordo com o secretário, o sistema deverá ser desenvolvido em parceria com a Sercomtel Contact Center e vai liberar quase 40 guardas, que hoje trabalham na Central de Operações monitorando as câmeras instaladas em logradouros e próprios públicos, para o trabalho nas ruas. “O sistema de alarme monitorado seria uma forma de otimizar o trabalho e atender novas demandas”, explicou Ramos, ressaltando que o uso das câmeras já existentes não seria excluído.

Diagnóstico dos prédios - O secretário de Defesa Social esclareceu ainda que, de acordo com o PSI, guardas municipais deverão fazer um levantamento das condições de cada prédio, indicando as vulnerabilidades capazes de permitir vandalismos e furtos, para definição de como deverá ser instalado o sistema de alarme no local. “A maioria dos prédios foi edificada há, 20, 30 anos, quando a realidade era outra e não havia tanta preocupação com a prevenção na área de segurança”, lembrou. Segundo Ramos o diagnóstico que serviu de base ao Plano de Segurança de Instalações, assim como a proposta de implantação do sistema de alarme monitorado, serão agora encaminhados à Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia.

“Vamos lutar para viabilizar o orçamento do projeto. Não adianta pedirmos para que cada prédio público tenha um guarda 24 horas, porque sabemos que isto não é possível”, argumentou o vereador Jairo Tamura, presidente da Comissão de Segurança Pública. De acordo com o parlamentar na volta do recesso parlamentar, que vai de 16 a 31 de julho, será discutida uma forma de suplementação de recursos. O vereador Amauri Cardoso, presidente da Comissão de Educação e vice-presidente da Comissão de Administração, disse estar confiante nas medidas que deverão ser tomadas. “Hoje a Prefeitura gasta quase R$ 400 mil por ano com furtos nas escolas, sem falar nos efeitos psicológicos causados. Será um esforço conjunto para melhorar a iluminação e implantar o monitoramento em todas as instituições de ensino.”

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios