Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Na terça (17), a entidade realizou uma assembleia que reuniu associados e representantes do segmento para definir os próximos passos no combate aos prejuízos do setor em meio a pandemia

Na última terça-feira, dia 17 de março, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel - PR) realizou uma grande assembleia de sócios para definir sua nova diretoria. O empresário Nelson Goulart Júnior foi eleito novo presidente da Abrasel - PR, com mandado que vai de abril de 2020 até abril de 2023. Aproveitando a presença de grandes nomes do mercado paranaense, a nova administração convocou associados e representantes do setor de alimentação para uma conversa séria focada em debater e definir as deliberações cabíveis para reduzir os efeitos negativos causados pela pandemia do novo coronavírus no Estado do Paraná.

Nos últimos dias, os governos municipais, estaduais e federal emitiram decretos com recomendações preventivas para barrar o processo de transmissão do vírus, sugerindo a redução da circulação de pessoas e aglomerações em locais públicos. Embora no Paraná as medidas não determinem a limitação das atividades na iniciativa privada, o setor de bares e restaurantes já viu o movimento cair em até 70%. “Temos nos preparado e adotado as providências possíveis desde o início da pandemia.  As medidas que já estão em vigor, como o distanciamento das mesas, reforço na higienização de utensílios e ambientes, ventilação e disponibilização de álcool em gel em todos os estabelecimentos, são suficientes para o cenário atual em que a transmissão do vírus não é comunitária, porém, precisamos estar preparados para os piores cenários que podem surgir no futuro e para isso precisamos do apoio do poder público”, afirma Nelson Goulart Júnior, novo presidente da Abrasel – PR, que substitui a empresária Jilcy Rink, que ocupou o cargo por dois mandatos, entre 2014 e 2020.

Com cerca de 6 milhões de empregos diretos e indiretos em todo o país, o segmento de alimentação fora do lar é um dos mais prejudicados pela crise ocasionada pela disseminação do COVID-19 e muitos proprietários já consideram fechar as portas. Para garantir o subsídio necessário em caso de cancelamento das atividades, os presentes na assembleia formularam uma petição com uma lista de solicitações que será entregue as entidades governamentais responsáveis.

As reivindicações abrangem a criação de linhas de créditos para garantir o capital de giro, flexibilização das leis trabalhistas durante o período especialmente em relação a férias e suspensão temporária de contratos, isenção na cobrança de tributos obrigatórios, e paralisação da cobrança de contas públicas como energia elétrica e água. “Até podemos contornar a redução de faturamento no cenário atual, mas com a possível situação de colapso prevista, não há possibilidade dos empresários se manterem sozinhos de portas fechadas.” diz Nelson Goulart Junior. “Precisamos nos mobilizar e criar uma caixa de ferramentas com as soluções viáveis. Nosso presidente nacional da Abrasel, Paulo Solmucci, já conversou com o presidente Jair Bolsonaro e o Ministro da Economia Paulo Guedes sobre a necessidade do governo nos ajudar a pagar essa conta”, completa o presidente eleito da Abrasel - PR.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios