Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No Dia Internacional da Mulher, a modelo Michele Sensolo quebra tabus e fala sobre o assédio que mulheres bonitas sofrem e dos casos de preconceito e desrespeito que já presenciou e viveu, simplesmente por ser mulher e trabalhar como modelo.

Michele Sensolo é uma mulher bonita e independente, que trabalha como modelo em videoclipes de cantores famosos e já estampou ensaios fotográficos e capas de revistas masculinas. Apesar do sucesso em sua carreira profissional, a modelo alerta que é vítima de preconceito e afirma ser vítima da sensualidade:

“Nós mulheres somos vítimas da nossa própria sensualidade. Ser vítima da sensualidade é você não poder usar nada que mostre um pouco mais o seu corpo ou uma roupa mais confortável, por causa do julgamento das pessoas e do assédio masculino. É um olhar que não é legal. É um passar de mão, um desrespeito. Achar uma pessoa bonita, admirar o corpo, a boa forma, isso é normal, mas o problema é quando isto é argumento para o assédio e tudo de ruim que advém daí”.

A modelo diz que já passou por diversas situações constrangedoras nas ruas simplesmente por ser mulher e ter sua sensualidade feminina: “é horrível sair às ruas e sentir-se quase violentada nas ruas por olhares. Temos que ter a liberdade de ser quem somos. A sensualidade feminina é ao mesmo tempo desejada mas muito recriminada. Eu mesma já fui julgada nas ruas até por outras mulheres, simplesmente por ser sensual. Esse tabus precisam ser discutidos para que as barreiras do preconceito caiam e datas como o Dia Internacional da Mulher nos lembram disso, de lutar por nosso espaço e pela liberdade de nos expressar”.

Fabiano de Abreu/MF Press Global

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios