Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A segunda edição do prêmio que celebra a cultura pop e a geração millennial no Brasil, o MTV MIAW (Millennial Awards) foi gravada no último dia 03, no Credicard Hall, em São Paulo. Apresentada por Hugo Gloss, e Sabrina Sato, o evento premiou artistas que se destacaram durante o ano de 2018.

Apesar de toda a festa e das celebridades presentes, a coreógrafa Tainá Grando se mostrou descontente com a emissora e apontou um erro na premiação, em um desabafo nas redes sociais: “Eu ganhei um prêmio e não sabia (risos). Se é Danceokê o nome da categoria, então deveria ser [premiado] pela dança. Quem coreografou esse clipe fui eu, e em nenhum momento eles falam sobre o balé e sobre a coreógrafa. Isso me deixa chateada. Quando as pessoas vão valorizar o trabalho dos bailarinos aqui?”, disse a coreógrafa se referindo a premiação de ‘Fuleragem', de MC WM.

A coreógrafa alegou que embora feliz com a premiação de seu amigo MC WM, a MTV errou ao dar os créditos para o cantor em vez de aproveitar a oportunidade para valorizar o trabalho dos bailarinos e coreógrafos: "Parece que só o cantor ou o ator da novela que é valorizado como artista aqui no Brasil. O bailarino, coreógrafo e o músico também são artistas, mas não são valorizados. Eu fico triste, eu fico chateada real não só por mim. A MTV cagou no nome dessa categoria. Era pra ser uma oportunidade pra mostrar o trampo dos coreógrafos e bailarinos, mas ai mostram o cantor. Nada contra o MC WM porque eu adoro ele e fazemos muitos trabalhos juntos, mas se o nome da categoria é Danceokê então tem que falar de dança, de quem criou aquilo”.
Tainá Grando apontou também que isso desmerece o trabalho dela, quando não dão os créditos pelo que foi realizado, e que isso não é uma exclusividade da MTV: "Eu sou muito feliz, amo o que faço, amo trabalhar com dança, mas às vezes me dá um desânimo. Por isso que eu vejo um monte de bailarinos mudarem de profissão, porque a gente não é valorizado. Ai eles fazem um 'bagulho' desse de dança e não valorizam o bailarino nem o coreógrafo. Eu já fiz um monte de trabalho se ninguém sabe que eu fiz porque ninguém dá os devidos créditos. Nunca dão os nossos créditos”, desabafou.
Fabiano de Abreu/MF Press Global 

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios