Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

É o que revela um levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo o estudo, também cresce a busca por qualificação no setor

Os trabalhos temporários no turismo no verão deste ano devem bater os 35,5 mil postos, de acordo com a CNC. O período é responsável pela geração de 72% das contratações sazonais e vai atender principalmente os setores de alimentação e de hospedagem. Houve crescimento também na média salarial de admissão no setor, que cresceu 3,6% em relação ao ano passado, e deve chegar a R$ 1.150 no final do ciclo de contratações.

A pesquisa avaliou, ainda, o perfil da mão de obra no turismo e concluiu que a maior parte dos profissionais tem entre 18 e 24 anos e se qualifica mais rapidamente que a média dos demais trabalhadores em geral. O salário médio real aumentou 23,7% entre 2007 e 2013, de acordo com a CNC.

“O resultado revela o potencial do turismo como atividade geradora de emprego e renda e revela também a importância das iniciativas de qualificação para o mercado de trabalho do turismo”, afirma o ministro do Turismo, Vinicius Lages. Segundo ele, o Pronatec Turismo, programa criado inicialmente para treinar profissionais para atender as demandas da Copa do Mundo, deu tão certo que foi reformulado e ampliado. Este ano atenderá 214 municípios de 24 estados com cursos de idiomas e outros relacionados ao receptivo turístico, como camareiras, garçons, barman, recepcionistas, auxiliar administrativo e de recursos humanos.

Para o presidente do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da CNC, Alexandre Sampaio, o aumento da qualificação no turismo segue as exigências de profissionalização do mercado e implica em melhores remunerações. “Com esses profissionais mais preparados podemos verificar a tendência de aproveitamento dos temporários para a efetivação nos quadros das empresas”, afirma.

Os bares e restaurantes deverão gerar 53,4% das vagas ofertadas no verão. Outro ramo de destaque, segundo a pesquisa da CNC, é o de hospedagem (hotéis, pousadas e similares) que deverá abrir 10,9 mil oportunidades de emprego, ou 30,7% do total. Os serviços de transportes de passageiros, agências de viagens, operadoras de turismo, aluguéis de automóveis, e de atividades culturais, recreativas e esportivas, deverão oferecer, juntos, 5,7% dos postos temporários.

Asimp/MTur

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios