Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Uma região às margens que da Represa Xavantes e que envolve municípios do Paraná e São Paulo. Este é o Projeto Angra Doce que vem trabalhando para fomentar ainda mais o turismo. Pelo lado paranaense estão: Carlópolis, Jacarezinho, Ribeirão Claro, Salto do Itararé e Siqueira Campos.

Uma reunião com o Secretário Estadual de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo Márcio Nunes, o deputado federal Pedro Lupion, o deputado estadual Romanelli, prefeitos integrantes pelo lado paranaense e lideranças deram mais um passo para a ação.

O prefeito de Carlópolis Hiroshi Kubo explica que a intenção e fomentar ainda mais o turismo e com o apoio do Governo do Estado será cada vez mais primordial esta situação. “A formalização como interesse turístico também impulsionará o projeto Angra Doce para o desenvolvimento do turismo, reformas de estradas, saneamento básico, saúde, obras, entre outros”, ressalta.

O deputado federal Pedro Lupion lembrou quando estava na Assembleia Legislativa foi um dos autores para a região ser considerada Lei a nível estadual. Ela foi sancionada pelo então governador Beto Richa através da Lei 19.369. Já na esfera federal a Área Especial de Interesse Turístico tem a Lei 13.921 que foi sancionada pelo Presidente Jair Bolsonaro.

O mapeamento do projeto Angra Doce teve o apoio das universidades da região e do Programa Cidades do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). A proposta prevê uma governança envolvendo vários setores dos dois estados, abrangendo governo, universidades e sociedade civil.

O deputado estadual Romanelli também destacou o potencial da região. “É um projeto que vem sendo concretizado a cada dia. Temos uma bela paisagem e potencial para ser referência em todo o Brasil no âmbito do turismo”, argumenta Romanelli.

Atrativos

A região é propícia para a prática de vários esportes, como rafting, canoagem, trekking, asa delta, voo livre, paraglider, parapente, equitação, passeios náuticos e pesca esportiva. Além disso, também possui cachoeiras, trilhas, praias artificiais e lugares históricos, como a ponte pênsil Alves de Lima, que foi destruída durante a Revolução Constitucionalista de 1932 e reconstruída quatro anos mais tarde.

A região abriga água, cascatas e praias ao redor do lago da represa de Chavantes. São 400 quilômetros quadrados de extensão e o lago tem mais de 9 bilhões de metros cúbicos de água, formado pelos rios Paranapanema e Itararé.

Antes de chegar é preciso olhar a região de cima, do topo do Morro do Gavião, de onde se descortina um cenário deslumbrante – 360 graus de horizonte muito verde. Embaixo, a propriedade particular oferece estrutura para receber os turistas, como muitas outras pousadas, restaurantes e quiosques da região.

blog_marcos_junior@hotmail.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.