Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cerimônias na praia e no campo ganham adeptos em todo o país. Saiba como o mercado de casamentos movimenta a economia de destinos turísticos

O casamento é a realização de um sonho para a maioria das noivas, um desejo que pode ficar ainda mais especial tendo como cenário a paisagem bucólica de uma fazenda ou a brisa do mar. A procura por um casamento em que a natureza dá o toque de exclusividade, distante dos salões de festas tradicional, tem deslocado convidados pelos principais destinos turísticos do Brasil.

As principais praias escolhidas para a celebração do matrimônio são as do litoral norte de São Paulo, além de Búzios e Paraty, no Rio de Janeiro. Alguns destinos da região Nordeste, como a Praia dos Carneiros, em Pernambuco, e a de Arraial D'ajuda, na Bahia, realizam cerca de metade das cerimônias para noivos que não moram no estado. No campo, fazendas históricas de Minas Gerais e São Paulo, além de cenários de vinícolas e cafezais do sul do país viram a procura crescer nos últimos cinco anos, segundo um cerimonialista gaúcho especializado no segmento.

A escolha por um destino localizado, muitas vezes, a algumas centenas de quilômetros, leva os convidados a passar mais de uma noite no local. A maioria acaba se hospedando em hotéis, experimentando os restaurantes da cidade e permanecendo cerca de três dias no local, segundo a empresária Maria Convertino, que representa uma empresa especializada na organização de casamentos ao ar livre, sediada em São Paulo. A maioria (90%) acaba aproveitando para conhecer os destinos turísticos mais próximos.

"Em muitos eventos incluímos passeios de barco, mergulho, trilhas e rapel na programação, para que os convidados tenham várias opções de lazer antes e depois da festa", disse. Segundo a empresária, os casamentos geralmente são realizados no período de baixa temporada.
Dados do IBGE mostram que o número de casamentos no Brasil cresceu 5,6% (2002) para 6,9% (2012), ano em que foram registrados mais 1.041.440 uniões no Brasil. O percentual de "recasamentos", em que pelo menos um dos cônjuges era divorciado ou viúvo, teve um aumento ainda maior: de 13,4% (2002) para 21,8% (2012).

As cerimonias de casamentos movimentaram cerca de R$ 16 bilhões no ano passado no país. Em 2012, foram R$ 14,8 bilhões, segundo a Associação dos Profissionais, Serviços para Casamento e Eventos Sociais (Abrafesta), em parceria com o Instituto Data Popular.

Asimp/MinTur

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.