Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No total, 197 projetos foram inscritos no Desafio realizado pela CTG Brasil e pela Ashoka e que vai premiar com recursos financeiros e mentoria s três iniciativas inovadoras de turismo sustentável

O projeto Trilhando a transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável, realizado pela CTG Brasil e pela Ashoka, entrou em sua segunda fase. Foram selecionados 65 semifinalistas alinhados às premissas da iniciativa, que vai apoiar projetos de turismo que promovam o desenvolvimento local, gerem transformação social, fortaleçam as comunidades como protagonistas e se estruturem a partir da colaboração de diversos atores. O Desafio vai premiar três inovações sociais que apresentem propostas transformadoras de desenvolvimento e gestão do turismo. Cada vencedor receberá R$ 100 mil, além de participar de um processo de mentoria e aceleração em 2021.

Na primeira fase, encerrada em 31 de agosto, foram inscritas 197 iniciativas de todo o Brasil. Desse total, os projetos relacionados a comunidades de baixa renda foram destaque, com 66,2% das inscrições, seguidos por iniciativas ligadas a comunidades rurais, responsáveis por 65,1%. Outros temas relevantes abordados pelos proponentes foram comunidades periféricas (41,8%), indígenas (37,2%), negras (36,6%) e quilombolas (34,3%), além de minorias étnicas (34,3%), pessoas com deficiência (21,5%) e LGBTQIA+ (19,2%). Cerca de 50,6% das inscrições afirmaram ser relacionadas, ainda, a outras comunidades tradicionais. Cada iniciativa podia afirmar mais de um desses aspectos presentes em sua proposta.

Os principais recortes de propostas inscritas foram de projetos envolvendo ecoturismo (55), educação (41), comunidades tradicionais (37), além de temas como agroturismo (16) e turismo urbano (16). Cabe registrar que cada projeto podia indicar mais do que um recorte. Feito um primeiro balanço das inovações inscritas, a distribuição regional das propostas ficou em 53% do Sudeste, 17% do Nordeste, 14% do Centro-Oeste, 8% do Norte e 8% do Sul. Entre os proponentes, 45,3% das iniciativas foram apresentadas por pessoas do gênero feminino, 54% do gênero masculino e 1 projeto teve a proposição assinalada como “não binário” nesse aspecto.

Rafael Murta Reis, líder de empreendedorismo social da Ashoka Brasil, destaca, ao lado da relevante quantidade de inscrições realizadas, a qualidade das iniciativas apresentadas. "As inscrições afirmam a importância do setor do Turismo Sustentável e do Desafio, com uma representatividade temática relevante", comenta. "São propostas inovadoras, diversas e que trazem uma vigorosa contribuição para o turismo sustentável. Estou realmente impressionado e muito contente com o resultado".

 Para a diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil, Salete Hora, “é muito gratificante ver a qualidade dos projetos inscritos. Esperamos com essa iniciativa contribuir para a recuperação do setor de Turismo nesse momento de crise e participar do desenvolvimento das comunidades de forma mais sustentável.”

Uma das líderes em geração de energia renovável no País, a CTG Brasil está investindo um total de R$ 2,1 milhões no projeto, por meio de recursos financeiros destinados pela empresa ao Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Setor de Energia Elétrica, promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Próximos passos

As propostas semifinalistas foram convidadas a editar e complementar suas inscrições até o final do mês de setembro. Essas respostas e novas informações darão base à fase de Avaliação II e Feedback, que acontece de 1º a 19 de outubro. Clique aqui para conhecer as iniciativas semifinalistas.

Além do prêmio em dinheiro, as três iniciativas vencedoras participarão de um processo de aceleração em 2021 e serão contempladas com atividades de mentoria e assessoria em gestão financeira para a aplicação dos recursos recebidos. Serão produzidos, ainda, conteúdos audiovisuais destinados a apresentar e divulgar as propostas dos dez finalistas. Por fim, o projeto prevê a ativação de uma rede de empreendedores sociais e comunidades capazes de dialogar e construir soluções conjuntas para o futuro do setor.

A divulgação dos finalistas deve se dar no dia 26 de outubro e a definição dos vencedores está prevista para o final de novembro, quando também será apresentado o Mapeamento de Tendências de Inovação Social para o Turismo Sustentável. A publicação sistematizará o conhecimento de especialistas e empreendedores sociais no campo do turismo, além de destacar o trabalho dos semifinalistas e finalistas do desafio na composição da pesquisa. A intenção, ao final, é favorecer a replicabilidade e escalabilidade de soluções para todo o território brasileiro.

Confira o cronograma completo em:

https://network.changemakers.com/challenge/turismosustentavel/brief

Priscila Carvalho/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios