Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com mais de 100 apresentações, evento traz à cidade espetáculos do Brasil, Argentina, Bolívia, Espanha, Portugal e França

Jackeline Seglin/Asimp/Filo 2013
 
Vai começar a grande festa das artes cênicas de Londrina. É o Festival Internacional de Londrina, em sua edição comemorativa dos 45 anos. De sexta-feira (23) até 7 de setembro, centenas de artistas vão invadir a cidade com mais de 100 apresentações de teatro, dança, circo e música levadas a teatros, espaços e vilas culturais, escolas públicas, shoppings, praças e ruas do centro e de bairros das cinco regiões. O FILO ainda estenderá a programação às cidades vizinhas de Apucarana e Jacarezinho.
 
O público vai ver no Filo 2013 espetáculos da Argentina, Bolívia, Espanha, Portugal, França e atrações dos estados brasileiros de Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os convidados para o espetáculo de abertura na sexta-feira (23), às 20h30, no Teatro Marista, são os argentinos da companhia de Celia Argüello Rena, com o espetáculo de dança e teatro “Villa Argüello – Espacio de Evocación a un Mundo Cordobés”.
 
Ainda na sexta-feira, no Centro Cultural Sesi/AML, os artistas plásticos Dani Chineider e Agenor Evangelista abrem a exposição “Te Vi e Te Vejo no Filo”, com 28 pinturas criadas especialmente para a edição dos 45 anos, com base em fotos, cartazes, vídeos e catálogos que registraram a história do Festival mais antigo da América Latina. Os artistas receberão o público às 18 horas, no saguão do Centro Cultural.
 
O primeiro final de semana do Filo ainda traz grandes atrações do teatro brasileiro. Nos dias 24 e 25 (sábado e domingo), a companhia mineira Quatroloscinco – Teatro do Comum, de Belo Horizonte, apresenta a montagem “Outro Lado” às 20 horas, na Divisão de Artes Cênicas da Casa de Cultura da UEL (Av. Celso Garcia Cid, 205).
 
A Cia Teatro Balagan, de São Paulo, traz a Londrina o trabalho dos atores Antonio Salvador e Eduardo Okamoto, numa encenação de Maria Thaís para o texto de Luis Alberto de Abreu. “Recusa” será apresentada sábado e domingo, às 20h30, no Teatro Filo (Rua Cuiabá, 39). Também sábado e domingo, às 21 horas, na Usina Cultural, a Companhia o Latão, do diretor Sérgio de Carvalho, apresenta “Sociedade Mortuária – Uma Peça Camponesa”.
 
No domingo, uma atração divertida na tarde da programação do Filo. O palhaço Ritalino, do Triolé Cultural, apresenta “O Melhor Espetáculo do Mundo, na Minha Opinião”, às 16 horas, no Catuaí Shopping Londrina (Rod. Celso Garcia Cid, km 377). O mesmo espetáculo será levado à região norte na segunda-feira (26), às 20 horas, no Londrina Norte Shopping. Programação completa www.filo.art.br.
Entre os participantes da edição 2013 estão ainda o Lume Teatro, o ator Gero Camilo, grupo Pia Fraus, Cia Club Noir, Grupo Sobrevento, além dos internacionais Cia Roger Bernat e La Tristura (Espanha), Peripécia Teatro (Portugal), Altoteatro (Bolívia), François Khan (França) e 11 espetáculos de Londrina.
 
Música no final de semana
 
O Filo também começa com atrações musicais nos finais de noite. Na sexta-feira (23) tem Ponto de Encontro no Bar Valentino com show da banda Pedra de Toque, DJs DBeat, Ed Groove e Tito Maia. É a festa Funk-Me, que começa às 23 horas, com couvert a R$ 15,00 – ingressos no próprio Valentino.
 
No sábado (24) tem “Poesia in Concert - blues e poesia para apaziguar a alma” na Vila Cultural Cemitério de Automóveis. Shows das bandas Benditos Energúmeros e Gangue de Ganso a partir das 22 horas. Ingressos no local a R$ 20,00 (R$ 10,00 meia-entrada).
 
Uma das novidades para 2013 é o retorno do Cabaré. Este ano, o evento musical do Filo será realizado de 29 a 31 de agosto e de 5 a 7 de setembro, numa grande tenda montada no Parque de Exposições Ney Braga, com shows de Gal Costa, Jorge Aragão, Zeca Baleiro, Otto e Céu, Baile do Ben (com Sandra de Sá, Paula Lima, Izzy Gordon e Fernanda Abreu) e Teatro Mágico, além de atrações locais.
 
A venda de ingressos para o FILO e Cabaré Viação Garcia acontece em novo endereço. Desde o dia 8 de agosto, o Catuaí Shopping Londrina (Rodovia Celso Garcia Cid – km 377) sedia a bilheteria oficial do Festival. O FILO disponibilizou 40% dos ingressos para venda pela internet. O ponto de vendas funciona das 10 às 22 horas (segunda a sábado) e das 11 às 20 horas (domingos e feriados).
 
Preços de ingressos para os espetáculos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada). O ponto de vendas funcionará das 10 às 22 horas (segunda a sábado) e das 11 às 20 horas (domingos e feriados). Os preços para os shows no Cabaré Viação Garcia custam a partir de R$ 20,00 (meia-entrada na pista) e variam de acordo com lote e localização: pista, área vip, camarote ou mesa. Mais informações: www.filo.art.br.
 
Atividades de formação
 
A programação de atividades formativas e de aprimoramento artístico do FILO 2013 vai trazer, como todos os anos, novas possibilidades de intercâmbio para artistas e estudantes de Londrina e região. Além dos bate-papos, oficinas e demonstrações de trabalho com grupos participantes, estudantes estão integrados em um projeto de comunicação com a cidade, a partir da temática dos 45 anos do Festival.
 
O Filo terá as seguintes oficinas: crítica teatral (Maurício Arruda Mendonça/Londrina), Presença do Ator – Da Energia à Criação (Carlos Simioni/Campinas), Interpretação Teatral (Juliana Galdino/SP), Formação e Aperfeiçoamento para Atores (François Kahn/França) e Comédia Visual (John Mowat/Inlgaterra).
 
Estão sendo desenvolvidos este ano os projetos “Repórter Show – Um mergulho nas histórias do festival” (com alunos e profissionais de Comunicação, coordenados por Bernardo Pellegrini); Coletivo TRANS, ação coletiva na ambientação e transformação do espaço físico do Cabaré, uma parceria com o Projeto de Pesquisa, Processos de Criação em Arte em Contextos Coletivos e Transdisciplinares da Universidade Estadual de Londrina; Arte Pública e Movimento de Teatro de Rua, em parceria com o Movimento dos Artistas de Rua de Londrina; Musicalização no Instituto de Instrução e Trabalho para Cegos (Ilitc) – percussão, violão e canto com Edgar Abreu, Marcos, Márcia e Marta Santos.
 
45 anos
 
Dois espetáculos marcaram o lançamento da programação dos 45 anos do Festival em junho: a atriz Renata Sorrah com a Companhia Brasileira de Teatro no premiado “Esta Criança” e a Compagnie Les Apostrophés, que voltou ao FILO com “L’ecume de l’air” (A espuma do ar).  Para o encerramento das comemorações dos 45 anos, em outubro, foi convidado o grupo Armazém Companhia de Teatro, com o espetáculo “A Marca da Água”.
 
O Festival de Londrina nasceu como uma mostra de grupos universitários em 1968. Aos 45 anos, é o mais antigo evento do gênero na América Latina e um dos mais importantes da história cultural do país. Em 1988, conquistou alcance internacional – e tornou-se uma referência no cenário mundial das artes cênicas. Desde que realizou a primeira Mostra Latino-Americana de Teatro do Brasil, o FILO busca compartilhar com o público experiências de grupos e artistas que apresentam um painel de inquietude, de mudanças e de crítica social.
 
Cumpriu um roteiro cultural e histórico que registrou os principais períodos sociopolíticos que marcaram as quatro últimas décadas de nossa história. Há dez anos, o FILO integra o Núcleo dos Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil, ao lado de outros grandes eventos do gênero, realizados em Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Recife e São José do Rio Preto.
A programação de espetáculos de reconhecido valor artístico, estético e de reflexão crítica transforma a cidade, a cada ano, em um grande palco para o encontro de artistas, ideias, expressões e público. A agenda mescla espetáculos brasileiros e internacionais com shows e atividades de formação. O FILO desenvolve ainda sua proposta de inclusão cultural por meio da linguagem artística.
 

O Festival de Londrina se tornou reconhecido mundialmente ao trazer para o interior do Paraná expoentes das artes cênicas. Londrina viu o mestre Kazuo Ohno, a companhia Odin Teatret e Eugênio Barba, o grupo De la Guarda, a companhia Wim Vandekeybus & Última Vez, os palhaços do Derevo e do Licedei,  a consagrada Volksbühne, o lendário Theatre des Bouffes du Nord, do diretor Peter Brook, além de grandes nomes que sempre marcaram a cena nacional.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.