Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Rota de cicloturismo com 285 km de extensão passará por Ibiporã e por outros seis municípios, com o objetivo de atrair turistas de outros estados e movimentar a economia ligada ao setor

Vem aí o Circuito Pé Vermelho de Bike, rota de cicloturismo que vai passar por Londrina, Ibiporã e por outros cinco municípios da região (Arapongas, Rolândia, Cambé, Jataizinho e Tamarana), com o objetivo de ser um atrativo turístico permanente de divulgação do Norte do Paraná e das suas belezas naturais, históricas, culturais e religiosas.

A apresentação do projeto, já em fase final de definição com os municípios que serão beneficiados, aconteceu no último dia 15/4, na Prefeitura de Ibiporã, em reunião que contou com a presença do prefeito José Maria Ferreira, da vice-prefeita Mari de Sá, de secretários e diretores municipais, grupos de ciclistas e os promotores da rota turística. O dia 15 de abril foi propício, já que nesta data se comemora o Dia Internacional do Ciclista.

Incentivo ao Turismo

A meta dos organizadores, que estão especificando toda a infraestrutura necessária, em parceria com os municípios, é atrair turistas de outros estados e dessa forma movimentar a economia ligada a esse segmento – restaurantes, bares, pousadas, comércios rurais e de produtos caseiros, associações de artesanato, hotéis, fabricantes de bicicletas, fornecedores de peças e prestadores de serviço.

A rota terá 285 km de extensão e percorrerá estradas rurais, trilhas, morros e cachoeiras. Serão sugeridos roteiros com duração de 5 a 7 dias para se fazer a volta completa, seguindo o modelo de outras rotas mais conhecidas de mountain bike, como o Caminho da Fé (interior de São Paulo e Minas Gerais), Caminho do Sol (São São Paulo) e o Vale Europeu (Santa Catarina).

Fomento De Negócios

“Pretendemos fomentar o turismo através do esporte. Além disso, será uma oportunidade de negócio para o produtor rural, que poderá oferecer café colonial, produtos da sua propriedade, hospedagem, almoço, passeios, trilhas e vender artesanato”, disse a coordenadora de projetos do Circuito Pé Vermelho, Patrícia Oliveira, de Londrina.

O prefeito José Maria se mostrou muito satisfeito com a proposta e disse que “ela vem ao encontro de um dos objetivos da nossa administração, que é divulgar o potencial que tem a nossa área rural e fomentar negócios que permitam a ampliação da renda de famílias ligadas à agricultura familiar e ao turismo rural”.

Início em 2022

A meta é que a rota seja lançada em 2022, quando já estiver aprovada a lei estadual que cria esse novo atrativo no Paraná e toda a infraestrutura de apoio e sinalização já tiver sido implantada pelas prefeituras e pelos organizadores. Como o circuito será auto-guiado, os municípios terão que instalar placas de orientação ao cilcistas ao longo de todo o percurso, além de bebedouros a cada 30 quilômetros. Em Ibiporã, por exemplo, serão cerca de 60 placas de sinalização turística e de trânsito. Aqui o percurso passará, por exemplo, pelo Morro do Guarani (ponto mais alto do município), por capelas que integram o Circuito das Capelas, por matas, cachoeiras e pelo Rio Tibagi.

Também estiveram presentes à reunião, no gabinete do prefeito, o coordenador geral do Circuito, Luiz Afonso Giglio, o vereador Rafael Eik Ferreira, os representantes do território de Ibiporã na rota, Marcelus Zucoloto e Nilma Emidio Matias, Ronaldo Lessa da Silva (representando o grupo de pedal Pé na Magrela) e o técnico da Emater em Ibiporã, Renan Ribeiro Barzan. De parte da Prefeitura, participaram os secretários municipais de Cultura e Turismo, Luciano Betiate; de Agricultura e Meio Ambiente, Luis Hiroshi Shimizu; de Esporte e Lazer, Cláudio Gozzo; o diretor da Secretaria de Obras, Marcos Teixeira, e os servidores Jaime Kaster (da Cultura e Turismo) e André Lima (Esporte).

Jaime Kaster/Asimp/Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios