Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ontem, 28, foi assinada ordem de serviço a ampliação da pista de pouso e decolagem. O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, também entregaram as obras de modernização do terminal de passageiros.

As obras de ampliação da pista de pouso e decolagem do aeroporto de Foz do Iguaçu, bastante esperadas pelo município e região, já podem ser iniciadas. A ordem de serviço para início dos trabalhos foi assinada ontem (28), em solenidade com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Joaquim Silva e Luna. A obra custará R$ 53,9 milhões. Na mesma solenidade foram inauguradas as obras de revitalização do terminal de passageiros do aeroporto.

O governador destacou a vocação turística de Foz e a importância dos investimentos no aeroporto. “Essas obras demonstram foco e sintonia entre o Governo Federal, Estadual e Itaipu em busca do desenvolvimento de uma das principais cidades do País”, afirmou. “Turismo é transferência de Produto Interno Bruto, com as pessoas de outros lugares vindo gastar em Foz. Com o aeroporto moderno, o mundo inteiro poderá conhecer as belezas deste lugar, um dos maiores atrativos do Brasil”, acrescentou Ratinho Junior.

Na etapa entregue nesta sexta-feira, o aeroporto ganhou melhorias no saguão e nas áreas de check-in e inspeção. Foram ampliadas as salas de embarque e desembarque, implantados escadas rolantes e também novos elevadores. O pacote de ações contou ainda com a instalação de quatro pontes de embarque (fingers) e de carrosséis de bagagem.

Com a modernização, de acordo com a Infraero, a capacidade do terminal saltará dos atuais 2,6 milhões para 5 milhões de passageiros ao ano. As salas de embarque, por exemplo, passaram de 900 metros quadrados para 5.400 metros quadrados. O investimento por parte da União, com recursos da Infraero e da Itaipu Binacional, foi de R$ 32,6 milhões.

Conquista

A obra de ampliação da pista de pouso e decolagem é bastante esperada. A previsão, disse Ratinho Junior, é que a pista fique pronta em abril de 2021. O prazo de execução é de 515 dias a partir da liberação da ordem de serviço. Ou seja, antes de a administração do complexo ser repassada à iniciativa privada com o leilão previsto pelo Governo Federal para ocorrer ainda neste ano.

Serão destinados mais R$ 53,9 milhões na ampliação da área, que permitirá que o terminal receba voos de maior porte, reforçando a vocação turística do município. O terminal não será fechado no período. “É mais um importante passo para tornar o aeroporto de Foz do Iguaçu apto a receber voos internacionais mais frequentes, uma conquista que impactará a economia de toda a região”, afirmou o governador. “Essa obra é uma reivindicação do Paraná, pois vai valorizar ainda mais o principal destino turístico do Estado, incrementar o comércio e atrair investimentos”, acrescentou.

Ratinho Junior lembrou que a ampliação da pista foi incluída no pacote de investimentos da Itaipu Binacional e da Infraero atendendo a um pedido do Governo do Estado feito em agosto do ano passado. “Uma parceria que tem gerado bons resultados para o Paraná, com o desenvolvimento de toda a região Oeste do Estado”, ressaltou.

O ministro da Infraestrutura reforçou que o terminal seguirá sendo ampliado. Segundo ele, entre as obras previstas está a construção de uma segunda pista, que vai constar no edital de privatização do complexo. “Foz do Iguaçu precisa e merece”, destacou Gomes de Freitas.

Ele enfatizou a importância de entregar as obras e os projetos de infraestrutura para a economia do Paraná. A ampliação, afirmou, permitirá a abertura de novas rotas internacionais tendo Foz do Iguaçu como ponto de partida ou chegada com voos diretos, ajudando a fomentar o turismo na cidade. “É um momento histórico, que coloca Foz do Iguaçu em outro patamar, com capacidade para receber conexões dos Estados Unidos e da Europa”, afirmou.

Estrutura

A pista do Aeroporto Internacional das Cataratas tem 2.195 metros de comprimento por 45 metros de largura, e é considerada curta para decolagem de voos de longa distância. Hoje não é possível decolar com o tanque cheio, o que impossibilita voos diretos para os Estados Unidos e a Europa. A nova pista terá 2,8 mil metros, 605 metros a mais que a atual. Além disso, será aplicada uma camada de revestimento de Stone Matrix Asphalt (SMA), que dá ganho de performance de 20% às aeronaves, o que permite autonomia de voos para locais como Miami, Nova York, Lisboa e Madri.

Para o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a modernização do terminal aéreo de Foz ajuda a reforçar o papel do Estado como hub logístico do cone sul. “É uma notícia importante não só para Foz do Iguaçu, mas para o Paraná e o Brasil. Essa conquista pode elevar as Cataratas do Iguaçu como principal destino de estrangeiros no País”, destacou ele.

Itaipu

A Itaipu vai arcar com 80% dos recursos para a obra (R$ 43,1 milhões), conforme o protocolo de intenções assinado entre a binacional e a Infraero. Esse investimento se soma a outro de R$ 15,5 milhões aplicados na duplicação da ligação entre o aeroporto e a BR-469 e na ampliação do pátio de manobras de aeronaves.

Ainda de acordo com o protocolo, o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu será o primeiro com conceito sustentável do País. Para atender essa classificação, haverá geração de energia por painéis fotovoltaicos, gestão de resíduos sólidos e captação da água da chuva. Entre outras ações, o terminal contará também com um eletroposto. “A missão de Itaipu é garantir energia de qualidade para brasileiros e paraguaios, mas também ajudar na evolução de toda a Região em sinergia com o Governo do Estado”, disse Silva e Luna.

Licença

O Instituto de Água e Terra (IAT) emitiu as licenças necessárias para a obra de ampliação da pista. A empresa responsável pelas obras é a Dalba Engenharia e Empreendimentos, de Guarapuava. O órgão garantiu também a autorização para duplicação de um trecho de 800 metros de extensão, entre o trevo da Rodovia das Cataratas até a entrada de acesso ao aeroporto. Esta é uma obra que vinha sendo reivindicada pela população há tempo e que vai melhorar o fluxo de veículos, já considerando a ampliação do aeroporto. A licença para a duplicação do acesso foi emitida em agosto último e faz parte do complexo do aeroporto, considerado importante pela Infraero.

Presenças

Participaram da solenidade o vice-governador Darci Piana; os secretários estaduais Guto Silva (Casa Civil), João Carlos Ortega (Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas), Beto Preto (Saúde), Norberto Ortigara (Agricultura e Abastecimento), Rômulo Marinho Soares (Segurança Pública) e Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo); o diretor-presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl; o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, Samuel Prestes; Fernando Furiatti, diretor-geral do DER-PR; o secretário nacional da Aviação Civil, Ronei Glanzman; o presidente da Infraero, Hélio Paes de Barros Júnior; o diretor de coordenação de Itaipu,Luiz Felipe Carbonell; os deputados federais Schiavinato, Giacobo e Vermelho; deputados estaduais Hussein Bakri (Líder do Governo), Soldado Fruet e Nelson Luersen.

Plano do município é dobrar número de turistas

Levantamento da Secretaria de Turismo de Foz apontou que em 2018 o aeroporto da cidade recebeu 2,3 milhões de passageiros. Dos que desembarcaram na cidade no período, 86% tinham no turismo a principal atividade, com gasto médio de US$ 77 (cerca de R$ 335) por pessoa.

O prefeito Chico Brasileiro lembrou que o plano do município é dobrar o número de turistas até 2030. Segundo ele, cerca de 4 milhões de pessoas visitaram a cidade no ano passado. “A modernização do aeroporto e da via de acesso nos garante toda a infraestrutura urbana para receberemos mais turistas. O número de voos internacionais será consideravelmente ampliado com a nova pista”, explicou o prefeito.

O Parque Nacional do Iguaçu, por exemplo, maior atrativo turístico do Paraná, recebeu 2.020.358 turistas em 2019. É o recorde de visitações na unidade de conservação e a primeira vez da história em que as catracas giraram mais de dois milhões de vezes. O aumento de turistas brasileiros e estrangeiros foi de cerca de 6,6% em relação a 2018, quando o parque atingiu a marca de 1.895.501 pessoas.

Foz do Iguaçu também registrou recorde de visitação em outros pontos turísticos. Cerca de 450 mil pessoas de 132 nacionalidades visitaram o Marco das 3 Fronteiras em 2019. O movimento de 2019 foi 11% maior que o mesmo período do ano anterior, quando o atrativo recebeu 407.831 pessoas.Já a Itaipu Binacional recebeu 1.028.225 turistas em 2019, crescimento de 0,4% em relação a 2018 (1.024.549).

Aeroporto de Foz integra novo pacote de concessões do Governo Federal

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu está dentro do pacote de concessões do governo federal, que engloba, ainda, os aeroportos de Curitiba (Bacacheri), São José dos Pinhais (Afonso Pena) e Londrina. O bloco sul engloba também as concessões de dois aeroportos em Santa Catarina (Navegantes e Joinville) e três no Rio Grande do Sul (Pelotas, Bagé e Uruguaiana).

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o bloco Sul tem valor estimado em R$ 8,9 bilhões e lance mínimo de R$ 516 milhões nesta nova rodada de concessões do Governo Federal. A duração do contrato será de 30 anos.

Secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex ressaltou que os contratos preveem investimentos de R$ 1,5 bilhão nos quatro aeroportos do Estado. As obras e aquisições de novos equipamentos farão com que os terminais subam de categoria e constarão no acerto de concessão.

A Anac vai realizar quatro sessões presenciais, sendo a primeira em Goiânia e as demais em Manaus, Curitiba e Brasília. A audiência do bloco Sul será em Curitiba, no dia 9 de março, a partir das 9h, no Mercure Aeroporto (Rua Barão do Cerro Azul, 261 - Águas Belas, São José dos Pinhais).

Município conta com novas linhas aéreas

Foz no Iguaçu iniciou 2020 com novos voos diretos. Dentro do Estado, a cidade passará a ter nova ligação diária com a capital Curitiba a partir de março. A Latam Airlines Brasil ampliou de 2 para 16 o número semanal de voos diretos entre as cidades. De acordo com a companhia, o investimento reflete a atenção com as oportunidades no Paraná, onde a companhia mantém contrapartidas em acordo para a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível de aviação.

Além disso, em janeiro a companhia aérea low cost (baixo custo) Jet Smart começou a operar voos diretos para Santiago, no Chile. Do Aeroporto das Cataratas já saem voos diários para Lima, no Peru, operados pela Latam. Em dezembro, começou a operação da companhia boliviana Amaszonas, ligando a cidade paranaense a Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, com conexões para outros destinos nos países andinos, como Cusco (Peru), Iquique (Chile), e La Paz e Uyuni, também na Bolívia.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.