Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Manifestação cultural na comunidade de São Miguel. Foto: Divulgação/Rede

Projeto identificado no estudo de competitividade do Ministério do Turismo atrai visitantes para conhecer o modo de vida caiçara

A valorização da cultura, dos saberes e dos atrativos tem ajudado a criar oportunidades de geração de renda e melhorar as condições de vida de populações tradicionais da Baía de Paranaguá, no litoral paranaense. A mudança aconteceu a partir de um projeto chamado Rede Caiçara de Turismo Comunitário, que mobilizou os moradores de Ponta do Ubá, São Miguel, Paiçaguera, Eufrasina e Ilha dos Valadares.

Em julho, as comunidades comemoram o primeiro ano de existência e operação da rede com registro de 400 visitantes acolhidos. Estudantes universitários, intercambistas e escoteiros são os grupos mais comuns, mas a região atrai também pequenos grupos de amigos e famílias interessados em vivenciar a cultura caiçara, a forma de vida e os atrativos da Baía de Paranaguá e do Mosaico Lagamar.

Além de passear, praticar esportes náuticos e trilhas, os visitantes aprendem na prática como é a vida das famílias de pescadores da região.  Conhecem a pesca artesanal, a canoagem e experimentam pratos da culinária caiçara.

Para as comunidades, o projeto ajuda também a resolver problemas cotidianos como, por exemplo, o de acúmulo de lixo nas ilhas. Com a rede, foi criado um projeto de economia solidária que permitiu a venda dos resíduos para uma associação de reciclagem; iniciativa que ganhou o aval do Ibama.

A consultora do projeto, Sara Pontes, ressaltou a importância deste trabalho, que vem engajando a rede em outras iniciativas “ que fortalecem os valores do Turismo de Base Comunitária no grupo e gera novas redes e contatos”. Um exemplo foi a participação, em agosto deste ano, no encontro nacional da Rede de Turismo Solidário (Turisol).

O projeto da Rede Caiçara de Turismo Comunitário, realizado com apoio da Fundação Municipal de Turismo e do Sebrae-PR, foi identificado como uma boa prática em turismo durante a pesquisa do Índice de Competitividade do Turismo Nacional, projeto do Ministério do Turismo, Sebrae e Fundação Getúlio Vargas. É a segunda vez que o guia anual de competitividade reúne as principais iniciativas entre os 65 destinos monitorados.

Para conhecer mais sobre a rede: facebook.com/redecaicara ou por e-mail tursustentavel@gmail.com

Asimp/MTur

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.