Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Roteiro, que contempla Londrina mais seis cidades da região, visa o desenvolvimento do esporte e valorização das áreas percorridas

Com o objetivo de incentivar a prática do ciclismo e promover o turismo sustentável em Londrina, secretários municipais se reuniram, ontem (20), com representantes do projeto do Circuito Cicloturístico Pé Vermelho. No encontro, a Prefeitura manifestou apoio ao Circuito, que está em desenvolvimento e cuja rota inicia e finaliza no município. São quase 400 quilômetros de trajeto que percorrem, em sua maioria, estradas rurais e distritos.

Há, atualmente, dois projetos de lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), para a instituição oficial do Circuito Cicloturístico Pé Vermelho. O percurso inclui ainda as cidades de Cambé, Rolândia, Arapongas, Ibiporã, Jataizinho e Tamarana; e poderá ser percorrido num prazo de cinco a sete dias, com uma rota de 385 quilômetros.

No encontro, participaram os secretários municipais de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada; de Cultura, Bernardo Pellegrini; e o procurador-Geral do Município, João Luiz Esteves. Para atender as solicitações, o projeto terá ainda o suporte da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Canhada citou que o cicloturismo é uma prática presente em diversos países, inclusive o Brasil, e com grande adesão. “Ele tem uma transversalidade com questões do meio ambiente e é também um agente de desenvolvimento. Consideramos esse projeto muito importante, tem todas as condições para alavancar negócios locais, fazendo com que o londrinense e pessoas que vêm de fora possam conhecer a exuberância da nossa região, fomentando a economia e atraindo turistas. Isso acarreta em mais clientes para os hotéis, restaurantes, ou seja, movimenta a economia como um todo. Portanto o projeto tem o todo o apoio da Prefeitura. O prefeito Marcelo Belinati está entusiasmado com a ideia, e vamos trabalhar com o sentido de dotar Londirna e região com esse roteiro que, tenho certeza, trará visitantes de todo país”, antecipou.

Mais do que transitar pela região, o cicloturismo defende a valorização do meio ambiente, ao mesmo tempo em que fomenta a agricultura, o comércio de turismo, e a prática da atividade física e esportiva. “Muitas pessoas daqui ainda não conhecem o que Londrina tem a oferecer, seja no âmbito da natureza ou locais para passeio. Nosso intuito é reconhecer e disseminar o potencial da nossa cidade, do nosso território. Nessa reunião apresentamos o projeto, a Prefeitura adotou a ideia e vestiu nossa camisa, estamos bem satisfeitos” comentou a idealizadora e coordenadora do Circuito Pé Vermelho, Patrícia Oliveira.

Atualmente, 24 ciclistas participam do projeto que está implementando o Circuito Cicloturístico Pé Vermelho, sendo oito de Londrina e os demais de cidades vizinhas. “Como somos daqui, temos que privilegiar Londrina, que é a cidade onde o percurso começa e termina, no marco zero. Por meio do aplicativo georreferenciado o próprio ciclista pode ver os locais que estão na rota, os pontos de apoio, como chegar de um lugar ao outro e quais os atrativos. Cada cidade vai privilegiar seu ponto forte, seja turismo religioso, gastronômico, ou outro, e os ganhos serão para toda população”, detalhou Oliveira.

O coordenador-geral da Associação Mobilidade Ativa e Amigos do Circuito Pé Vermelho, Luis Afonso Giglio, também considerou a reunião produtiva e positiva. “Os secretários acolheram nossas demandas, em especial sobre infraestrutura, para melhorias e adequações nas estradas rurais. E também de nova sinalização, para melhor identificação dos trajetos pelos ciclistas. Essas solicitações foram bem aceitas, os secretários estão dispostos a auxiliar e, ao mesmo tempo, ajudar a viabilizar um circuito interno para a cidade”, citou.

A proposta de um minicircuito é que Londrina amplie as condições para prática do ciclismo, principalmente na área urbana. “O ciclismo, além de meio de transporte, é uma forma de lazer e de fazer turismo, que aumenta as chances de desenvolvimento econômico para a cidade e região. E é algo sustentável, um ótimo modelo para a cidade. Temos grande demanda de ciclistas e pessoas interessadas em aderir. Com esse apoio da Prefeitura, o intuito é oferecer mais segurança, opções de circuitos e, consequentemente, aumentar o número de ciclistas”, explicou o coordenador-geral.

Interessados em contribuir com o Circuito Cicloturístico Pé Vermelho podem entrar em contato por meio do WhatsApp, no número (43) 9 9142-0401. O canal também está aberto a comerciantes e empreendedores que queiram se credenciar como pontos de apoio para a rota do circuito, como restaurantes, locais para hospedagem, reparo das bicicletas e outros estabelecimentos, sejam eles comerciais ou não.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios