Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Roteiro, que contempla Londrina mais seis cidades da região, visa o desenvolvimento do esporte e valorização das áreas percorridas

Com o objetivo de incentivar a prática do ciclismo e promover o turismo sustentável em Londrina, secretários municipais se reuniram, ontem (20), com representantes do projeto do Circuito Cicloturístico Pé Vermelho. No encontro, a Prefeitura manifestou apoio ao Circuito, que está em desenvolvimento e cuja rota inicia e finaliza no município. São quase 400 quilômetros de trajeto que percorrem, em sua maioria, estradas rurais e distritos.

Há, atualmente, dois projetos de lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), para a instituição oficial do Circuito Cicloturístico Pé Vermelho. O percurso inclui ainda as cidades de Cambé, Rolândia, Arapongas, Ibiporã, Jataizinho e Tamarana; e poderá ser percorrido num prazo de cinco a sete dias, com uma rota de 385 quilômetros.

No encontro, participaram os secretários municipais de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada; de Cultura, Bernardo Pellegrini; e o procurador-Geral do Município, João Luiz Esteves. Para atender as solicitações, o projeto terá ainda o suporte da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Canhada citou que o cicloturismo é uma prática presente em diversos países, inclusive o Brasil, e com grande adesão. “Ele tem uma transversalidade com questões do meio ambiente e é também um agente de desenvolvimento. Consideramos esse projeto muito importante, tem todas as condições para alavancar negócios locais, fazendo com que o londrinense e pessoas que vêm de fora possam conhecer a exuberância da nossa região, fomentando a economia e atraindo turistas. Isso acarreta em mais clientes para os hotéis, restaurantes, ou seja, movimenta a economia como um todo. Portanto o projeto tem o todo o apoio da Prefeitura. O prefeito Marcelo Belinati está entusiasmado com a ideia, e vamos trabalhar com o sentido de dotar Londirna e região com esse roteiro que, tenho certeza, trará visitantes de todo país”, antecipou.

Mais do que transitar pela região, o cicloturismo defende a valorização do meio ambiente, ao mesmo tempo em que fomenta a agricultura, o comércio de turismo, e a prática da atividade física e esportiva. “Muitas pessoas daqui ainda não conhecem o que Londrina tem a oferecer, seja no âmbito da natureza ou locais para passeio. Nosso intuito é reconhecer e disseminar o potencial da nossa cidade, do nosso território. Nessa reunião apresentamos o projeto, a Prefeitura adotou a ideia e vestiu nossa camisa, estamos bem satisfeitos” comentou a idealizadora e coordenadora do Circuito Pé Vermelho, Patrícia Oliveira.

Atualmente, 24 ciclistas participam do projeto que está implementando o Circuito Cicloturístico Pé Vermelho, sendo oito de Londrina e os demais de cidades vizinhas. “Como somos daqui, temos que privilegiar Londrina, que é a cidade onde o percurso começa e termina, no marco zero. Por meio do aplicativo georreferenciado o próprio ciclista pode ver os locais que estão na rota, os pontos de apoio, como chegar de um lugar ao outro e quais os atrativos. Cada cidade vai privilegiar seu ponto forte, seja turismo religioso, gastronômico, ou outro, e os ganhos serão para toda população”, detalhou Oliveira.

O coordenador-geral da Associação Mobilidade Ativa e Amigos do Circuito Pé Vermelho, Luis Afonso Giglio, também considerou a reunião produtiva e positiva. “Os secretários acolheram nossas demandas, em especial sobre infraestrutura, para melhorias e adequações nas estradas rurais. E também de nova sinalização, para melhor identificação dos trajetos pelos ciclistas. Essas solicitações foram bem aceitas, os secretários estão dispostos a auxiliar e, ao mesmo tempo, ajudar a viabilizar um circuito interno para a cidade”, citou.

A proposta de um minicircuito é que Londrina amplie as condições para prática do ciclismo, principalmente na área urbana. “O ciclismo, além de meio de transporte, é uma forma de lazer e de fazer turismo, que aumenta as chances de desenvolvimento econômico para a cidade e região. E é algo sustentável, um ótimo modelo para a cidade. Temos grande demanda de ciclistas e pessoas interessadas em aderir. Com esse apoio da Prefeitura, o intuito é oferecer mais segurança, opções de circuitos e, consequentemente, aumentar o número de ciclistas”, explicou o coordenador-geral.

Interessados em contribuir com o Circuito Cicloturístico Pé Vermelho podem entrar em contato por meio do WhatsApp, no número (43) 9 9142-0401. O canal também está aberto a comerciantes e empreendedores que queiram se credenciar como pontos de apoio para a rota do circuito, como restaurantes, locais para hospedagem, reparo das bicicletas e outros estabelecimentos, sejam eles comerciais ou não.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.